PUBLICIDADE
Topo

Podcast

Posse de Bola

Programa semanal de futebol com Juca Kfouri, Mauro Cezar Pereira, Arnaldo Ribeiro e Eduardo Tironi


Posse de Bola #28: "Tite tem condição de repetir 2002, mas não de marcar"

Do UOL, em São Paulo

13/04/2020 16h41

No episódio #28 do podcast Posse de Bola, os jornalistas Arnaldo Ribeiro, Eduardo Tironi, Juca Kfouri e Mauro Cezar Pereira falam sobre as reprises de jogos históricos devido à pandemia do novo coronavírus, a preferência entre times que marcam época sem vencer, como a seleção brasileira da Copa do Mundo de 1982, ou que vencem sem encantar, como o Brasil em 1994 e 2002.

Outra questão abordada é se a seleção brasileira atual comandada por Tite teria condições de vencer uma Copa, como Carlos Alberto Parreira em 1994 e Luiz Felipe Scolari em 2002, ou mesmo ficar marcada pelo bom futebol sem vencer, com o time de Telê Santana em 1982.

"O Tite tem alguma condição, levando varias lições da última Copa, de talvez repetir o Parreira de 1994, talvez repetir o Felipão 2002, mas não tem a menor condição de marcar época como treinador de futebol, comandante de uma seleção que marque época", afirma Arnaldo Ribeiro.

Na escolha entre vencer de qualquer forma ou perder jogando um futebol marcante, Juca Kfouri admite que a emoção de um título causa contradições.

"Eu sou sempre adepto do time marcante, mas também sou capaz de olhar para o time de 1982 com o olhar crítico, de saber que ali você tinha pelo menos seis jogadores extraordinários, como Leandro, como Júnior, como Falcão, como Cerezo, como Zico, como Sócrates, mas que contra a Itália, a Itália jogou melhor que o Brasil", afirma Juca Kfouri.

"Eu sei que é uma visão romântica e que eu mesmo já desmenti para mim mesmo. Em 1994, quando o último pênalti foi batido pela Itália nas alturas, na emoção, eu me desmenti. Eu dizia: 'prefiro perder como em 1982 do que ganhar jogando desse jeito', e vi que não. Eu preferia ganhar jogando depois daquele jeito depois daquele 0 a 0 modorrento durante 120 minutos lá em Los Angeles. Eu fico dividido, sabendo o quanto a vitória te faz feliz depois. Racionalmente, eu gosto mais do time de 1982 do que eu gosto do time de 1994, do que eu gosto do time de 2002", completa Juca.

O episódio tem ainda uma discussão sobre as seleções de 1982 e 2006: quais tinham os melhores jogadores? E também uma análise sobre a seleção brasileira comandada por Felipão que foi a última a vencer uma Copa do Mundo em 2002. O Brasil jogava bem ou o nível técnico da Copa é que foi baixo?

E voltando para o futebol dos clubes, há o Flamengo projetando redução de custos e o Palmeiras mantendo a verba da patrocinadora. O clube paulista poderá sair melhor da parada do futebol? E ainda uma discussão sobre uma arrogância de dirigentes poder prejudicar o clube rubro-negro.

Posse de Bola: Quando e onde ouvir?

A gravação do Posse de Bola está marcada para segundas-feiras às 9h, sempre com transmissão ao vivo pela home do UOL ou nos perfis do UOL Esporte nas redes sociais (YouTube, Facebook e Twitter). A partir de meio-dia, o Posse de Bola estará disponível nos principais agregadores de podcasts.

Você pode ouvir o Posse de Bola em seu tocador favorito, quando quiser e na hora que quiser. O Posse de Bola está disponível no Spotify e na Apple Podcasts, no Google Podcasts e no Castbox . Basta buscar o nome do programa e dar play no episódio desejado. No caso do Posse de Bola, é possível ainda ouvir via página oficial do UOL e YouTube do UOL. Outros podcasts do UOL estão disponíveis em uol.com.br/podcasts.