PUBLICIDADE
Topo

Mauro: "Há um ano, Gabigol, B. Henrique e Arrascaeta não eram unanimidades"

Do UOL, em São Paulo

17/02/2020 17h47

O Flamengo que conquistou mais um título na Supercopa do Brasil contou mais uma vez com o trio ofensivo formado por Arrascaeta, Bruno Henrique e Gabigol como fundamental para o domínio da partida diante do Athletico-PR. O trio que funcionou muito bem nas conquistas da temporada 2019, segue como um dos pontos fortes mais fortes em um elenco reforçado que o técnico Jorge Jesus tem para trabalhar.

No podcast Posse de Bola #20, Mauro Cezar Pereira analisa o desempenho apresentado pelos três e lembra de como eles não tinham o status atual antes da chegada do treinador português para comandar o clube carioca.

O jornalista cita um pouco de desconfiança que os torcedores tinham com as temporadas anteriores de Gabigol e Bruno Henrique no Santos, além da forma como o Cruzeiro tratou a saída de Arrascaeta, com diretor dizendo que Rodriguinho seria melhor jogador que uruguaio.

"Há um ano, esses três não eram, muito longe de serem unanimidades, muito longe de serem vistos como super ataque. Aí tem muito o trabalho do técnico, a diferença passa obviamente não só pelo elenco, pela diferença do técnico", afirma Mauro Cezar.

"O técnico é muito melhor do que os daqui, simples assim, aí tem aquelas 'ah na Europa ele não é isso tudo', mas aqui ele é, aqui ele é muito melhor que os outros, como o Sampaoli também demonstrava ser muito melhor, o que não quer dizer que todo estrangeiro vai ser maravilhoso, não é isso. Mas esse cara é muito melhor, ele consegue tirar dos seus jogadores muito mais. E a questão é como o time joga no começo", completa o jornalista.

Para Mauro Cezar, o técnico Vanderlei Luxemburgo tem a chance de fazer no Palmeiras algo na mesma linha que Jorge Jesus conseguiu no Flamengo, com os atacantes Dudu, Luiz Adriano e Willian para formar um trio ofensivo.

"Se o Luxemburgo for competente, ele pega Dudu, Luiz Adriano e Willian e transforma num super ataque. Se ele for competente para isso, fazer o time funcionar e esses três terem um jogo coletivo muito bom, porque são jogadores que acho que talvez não tão bons quanto os do Flamengo, mas são muito bons. Luiz Adriano é um jogador que tem recursos, não é só finalizador, o Willian é um jogador muito regular e o Dudu é um jogador, não sei se o trio do Palmeiras é tão bom, tenho dúvidas, mas o Dudu eu não tenho dúvida que está no mesmo nível desses do Flamengo", conclui.

Posse de Bola: Quando e onde ouvir?

A gravação do Posse de Bola está marcada para segundas-feiras às 9h, sempre com transmissão ao vivo pela home do UOL ou nos perfis do UOL Esporte nas redes sociais (YouTube, Facebook e Twitter). A partir de meio-dia, o Posse de Bola estará disponível nos principais agregadores de podcasts.

Você pode ouvir o Posse de Bola em seu tocador favorito, quando quiser e na hora que quiser. O Posse de Bola está disponível no Spotify e na Apple Podcasts, no Google Podcasts e no Castbox . Basta buscar o nome do programa e dar play no episódio desejado. No caso do Posse de Bola, é possível ainda ouvir via página oficial do UOL e YouTube do UOL. Outros podcasts do UOL estão disponíveis em uol.com.br/podcasts.

Futebol