PUBLICIDADE
Topo

Flamengo

Torcedora de 8 anos junta latinhas para realizar sonho: ver Fla no Maracanã

Emanuel Colombari

Do UOL, em São Paulo

11/02/2020 13h49

Karolina de Sousa, de oito anos, tem um sonho: ver o Flamengo jogando no Maracanã. Para isso, a pequena moradora de Itaituba, cidade no Pará a cerca de 3500 km do Rio de Janeiro, decidiu recolher latinhas para financiar a empreitada com a família.

O sonho de infância de muita gente é também o de Karolina — e ela sabe disso. Por isso, divulgou um vídeo nas redes sociais para pedir ajuda para recolher latinhas de alumínio.

"Oi, gente. Para quem não me conhece, eu sou Karolina e tenho um sonho de ir para o Maracanã, no Rio de Janeiro, ver o Flamengo ganhando. Ele, ganhando ou perdendo, eu vou estar feliz, porque eu vou estar vendo um jogo do Flamengo. Eu tenho esse sonho assim desde agora, que eu sou criança, né? E eu estou juntando latinha para ver se eu consigo as passagens - para mim, para meu pai, para minha mãe, para minha irmã e para meu tio Nael, que ele me ajuda", diz ela no vídeo.

As condições financeiras da família de Karolina não são das mais favoráveis. Tanto o pai, Josaias, quanto a mãe, Ana, são servidores públicos. O casal tem renda mensal de dois salários mínimos. Desta forma, para ajudar a pagar por uma viagem, Karolina decidiu recolher latas de cerveja e refrigerante para vender.

Mesmo assim, os obstáculos não são poucos. "Eu queria que vocês, se tivessem algumas latinhas aí na casa de vocês, guardassem para mim, por favor, que eu vou aí buscar. Aí hoje eu fui vender e deu R$ 50", conta ela no vídeo. "Aí um dia desses, um menino veio aqui em casa e roubou um saco de latinhas. Se ele não tivesse roubado, daria mais de R$ 100. Eu agradeço se vocês juntarem para mim, por favor", acrescentou.

O vídeo, segundo o pai, foi gravado no dia 2 de fevereiro. "Ela gravou o vídeo no meu telefone, aí ela botou no meu WhatsApp, nos meus grupos e no meu status. Um blogueiro da minha cidade entrou em contato comigo, perguntando se podia publicar", contou Josaías ao UOL.

"A gente assiste a muito jogo do Mengão, ela tem vontade de ir. Ela fica cantando as músicas da torcida também em casa e começou a dizer que queria ir para o Maracanã. Como aqui é muito distante e é caro para ir, eu digo que a gente não tem como", acrescentou o pai.

Segundo ele, Karolina avisou à família então que pretendia ajudar. "Ela perguntou se eu poderia vender latinhas se ela começasse a juntar. Eu achei que era só conversinha fora", explicou.

Até aqui, segundo o pai, Karolina junto R$ 75, além de "um bocado" de latinhas que recebeu. A família garante que a menina só pega latinhas depois das aulas, de manhã, enquanto caminha com a família. Diante da iniciativa, a população da cidade também oferece ajuda para recolher.

Além disso, segundo o pai, duas passagens foram prometidas: uma de uma professora de Itaituba, outra de "um português chamado Nuno que mora no Recife". A família diz que soube de ofertas de estadia no Rio de Janeiro, mas ainda não recebeu contato. Um torcedor do Rio ainda fez um depósito de R$ 30 para ajudar na viagem — que ainda depende da tabela do Campeonato Brasileiro para acontecer.

Flamengo