PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Irmãs de 16 anos são alvos de racismo e sexismo no Rally Dakar; FIA repudia

Aliyyah e Yasmeen Koloc - Divulgação
Aliyyah e Yasmeen Koloc Imagem: Divulgação

Colaboração para o UOL, em São Paulo

20/01/2021 23h08

A FIA (Federação Internacional de Automobilismo) se manifestou sobre o caso de racismo e sexismo no Rally Dakar envolvendo as irmãs Aliyyah e Yasmeen Koloc, de 16 anos. Elas foram alvos de comentários ofensivos dos pilotos Ales Loprais e Petr Pokora.

Em vídeo, os tchecos foram flagrados se referindo às filhas do também piloto Martin Koloc de maneira pejorativa.

"Estou ficando 'duro' pela terceira vez. Olha, a preta de Roudnice está indo para a direita", disse Loprais.

Bem, essa não é má, é aceitável. A outra não", acrescentou Pokora.

Em comunicado, a FIA condenou o comportamento da dupla. A nota foi divulgada em conjunto com a ASO, promotora do Dakar.

"A FIA, junto com a ASO e a FIA ETCR, condena energicamente os comentários desagradáveis e degradantes dirigidos às pilotos de corrida de caminhão FIA ETRC Aliyyah Koloc e sua irmã Yasmeen por dois competidores no Dakar. E continuará investindo importantes recursos e experiência no desenvolvimento de iniciativas para inspirar e fomentar a participação de meninas e mulheres jovens no esporte a motor", destaca a nota.

"A aderência aos princípios éticos e a promoção de uma cultura diversa e inclusiva no nosso esporte são de suma importância para a FIA e a Comissão de Mulheres no Esporte a Motor da FIA", acrescenta.

Aliyyah e Yasmeen Koloc, ambas de 16 anos, são naturais de Dubai. Elas fazem parte do projeto Dakar Sistaz, que visa a disputa da competição em 2023.

As irmãs se manifestaram sobre o episódio:

"O Dakar, o lugar em que menos queríamos que isso acontecesse, nos recordou o fato de que ainda vivemos em um mundo em que mulheres jovens são vistas apenas como objetos sexuais e não como seres humanos. Viemos ao Rali Dakar para ver o que nos espera. Queremos correr, queremos competir de forma justa e queremos melhorar e aprender. Além da experiência, também temos a sensação de que alguns competidores podem nos ver como meros pedaços de carne. O fato de sermos menores não nos salvou do comentário de Loprais", disseram.

Esporte