PUBLICIDADE
Topo

Piloto da Nascar é demitido após usar termo racista em corrida virtual

07.03.2020 - kyle Larson durante a FanShield 500, em Phoenix (EUA) - Christian Petersen/Getty Images
07.03.2020 - kyle Larson durante a FanShield 500, em Phoenix (EUA) Imagem: Christian Petersen/Getty Images

Do UOL, em São Paulo

14/04/2020 12h49

O piloto Kyle Larson, da Nascar, foi demitido por sua equipe após usar um termo racista durante corrida virtual ocorrida durante o período de quarentena por causa do coronavírus.

A equipe que empregava Larson, a Chip Ganassi Racing, liberou declaração oficial confirmando a demissão, dizendo que a declaração do piloto era "ofensiva e inaceitável, levando em consideração os valores da empresa". Larson já havia sido suspenso pela Nascar.

O incidente ocorreu durante a Monza Madness iRacing, uma corrida virtual que reuniu pilotos de Nascar e da Fórmula Indy. Ainda nos treinos de classificação, Walker aparentemente perdeu a comunicação com funcionários da equipe.

No entanto, ao invés de tentar se comunicar em um canal privado, o piloto enviou uma mensagem que foi ouvida por todos os participantes. "Você não consegue me ouvir? Ei, ...", disse, usando um termo derrogatório.

Nas redes sociais, Larson divulgou um vídeo pedindo desculpas. "Eu cometi um erro e disse uma palavra que nunca deve ser dita. Não há desculpas para isso. Eu não fui criado assim. É algo horrível a ser dito", declarou.

A Nascar Cup Series 2020 havia realizado quatro etapas da temporada antes da paralisação do coronavírus — na última delas, a FanShield 500, em Phoenix, Larson conquistou seu melhor resultado da temporada ao chegar em quarto lugar. Em 2019, ele foi o sexto colocado do campeonato.

Esporte