PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Hubbard diz não ser ícone transgênero, mas atleta

03/08/2021 10h39

Por Martin Petty

TÓQUIO (Reuters) - A primeira atleta olímpica abertamente transgênero disse nesta terça-feira que se aposentará do levantamento de peso e sente que sua aparição marcante nos Jogos de Tóquio deve ser rapidamente esquecida, já que o esporte caminha a passos largos para se tornar mais inclusivo.

Laurel Hubbard, 43, da Nova Zelândia, disse que nunca procurou publicidade, nem se considera um modelo ou pioneira, mas que quer apenas ser tratada como qualquer outra atleta no maior palco do esporte.

"Não acho que deveria ser histórico. Acho que à medida que avançamos para um mundo novo e mais compreensivo, as pessoas estão começando a perceber que pessoas como eu são apenas pessoas", disse Hubbard sobre sua participação em Tóquio, que esteve entre as questões mais polêmicas antes da Olimpíada.

"Somos humanos e, como tal, espero que apenas estar aqui seja o suficiente", disse ela em uma rara entrevista à imprensa internacional.

"Tudo o que sempre quis como atleta é ser considerada atleta."

Hubbard, que nasceu homem e fez a transição há oito anos, competiu em Tóquio sob as regras de um consenso do Comitê Olímpico Internacional (COI) de 2015 sobre atletas trans. O COI está atualmente revisando essas diretrizes.

Sua participação gerou um grande debate sobre se ser mais inclusivo em relação às atletas transgênero significa colocar em desvantagem aquelas nascidas mulheres.

Os críticos do COI argumentam que as atletas transgêneros têm uma vantagem no desenvolvimento esquelético e muscular por terem nascido com o sexo masculino e dizem que as regras que permitem que atletas trans participem de eventos femininos podem ser usadas de forma abusiva por países que buscam ganhar mais medalhas olímpicas.

Por outro lado, os defensores das atletas trans descartam isso e consideram extremamente improvável, dizendo que a terapia hormonal durante a transição nega as vantagens de desempenho percebidas.

Hubbard, que tem o dobro da idade de suas concorrentes, disse que está pensando em se aposentar porque a idade a afetou e o levantamento de peso cobrou um preço físico.

"O que espero é, se estiver em posição de olhar para trás, que isso seja apenas uma pequena parte da história, apenas um pequeno passo", disse Hubbard.

Ela disse não ser um ícone para atletas trans.

"Espero que só por estar aqui, eu possa fornecer algum senso de encorajamento", disse ela.

(Por Martin Petty)

Esporte