PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Torneio de Tênis causa tensão em australianos retidos no exterior por pandemia

18/01/2021 13h20

Por Swati Pandey

SYDNEY (Reuters) - Enquanto as principais estrelas do tênis chegam a Melbourne para o Grand Slam que se aproxima, muitos australianos questionam a decisão de sediar o torneio de tênis no momento em que milhares de cidadãos estão confinados no exterior devido à pandemia do coronavírus.

A Austrália reduziu pela metade o número de pessoas que pode retornar ao país a cada semana, à medida que os casos positivos de coronavírus na quarentena de hotéis aumentam, levando a companhia aérea Emirates a suspender indefinidamente os voos para Sydney, Melbourne e Brisbane.

Os australianos têm questionado como o governo pode abrir espaço para 1.200 jogadores de tênis e seus acompanhantes para o Aberto da Austrália do próximo mês, mas não para seus próprios cidadãos.

“Se você quiser vir para a Austrália durante uma pandemia, você precisa ser uma estrela do esporte, celebridade do cinema ou um magnata da mídia”, disse o usuário Daniel Bleakley no Twitter. "A cidadania e um passaporte australiano por si só não são suficientes."

Outros afirmaram que os recursos usados para sediar o torneio poderiam ter sido alocados para aumentar as instalações de quarentena e sistemas de saúde para ajudar a trazer de volta os australianos retidos.

As tensões destacam os desafios para o anfitrião dos Jogos Olímpicos, o Japão, com a opinião pública amplamente contra o evento agendado para 23 de julho a 8 de agosto em Tóquio.

(Reportagem de Swati Pandey)

Esporte