PUBLICIDADE
Topo

Quadras do Aberto dos EUA vão abrigar 350 leitos em meio a pandemia de coronavírus

31/03/2020 12h37

Por Amy Tennery

NOVA YORK (Reuters) - Uma parte do Centro Nacional de Tênis Billie Jean King vai se transformar em um hospital temporário com 350 leitos na terça-feira, disse a Associação de Tênis dos EUA (USTA), enquanto o surto de coronavírus consome recursos na cidade de Nova York, que foi dramaticamente afetada pela pandemia.

O local do Aberto dos EUA foi inserido na batalha em meio a uma crise médica que tomou conta do mundo e levou o esporte profissional a uma parada repentina e indefinida.

Chris Widmaier, porta-voz da Associação de Tênis dos EUA, dona do centro de tênis, disse à Reuters que a conversão da instalação esportiva coberta começará nesta terça-feira.

"Estamos aqui para ajudar", declarou Widmaier. "Nova York é a nossa casa, estamos todos juntos nisso."

A Administração de Emergências da Cidade de Nova York (NYCEM) informou a USTA de seus planos na segunda-feira, depois de dizer previamente à organização que o centro de tênis era um local potencial para assistência médica auxiliar.

"O local provavelmente não será usado para pacientes com Covid e vamos avaliar com base na necessidade", disse o porta-voz da NYCEM, Omar Bourne.

Ele acrescentou que a cidade está "trabalhando ativamente para identificar espaços que podem ser usados ​​para expandir a capacidade hospitalar nos cinco distritos", mas não deu detalhes.

A notícia das instalações de Flushing Meadows ocorre um dia depois que Nova York iniciou a construção de um hospital com 68 leitos no Central Park.

Esporte