PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Punições da Wada são inapropriadas e excessivas, diz Comitê Olímpico Russo

Bandeira da Rússia e do Comitê Olímpico Internacional  - AP Photo/Patrick Semansky
Bandeira da Rússia e do Comitê Olímpico Internacional Imagem: AP Photo/Patrick Semansky

09/12/2019 14h38

MOSCOU (Reuters) - As sanções da Agência Mundial Antidoping (Wada) contra a Rússia são inadequadas e excessivas, disse o presidente do Comitê Olímpico da Rússia, Stanislav Pozdnyakov, nesta segunda-feira, depois que a Wada baniu o país de todos os principais eventos esportivos do mundo por quatro anos.

A Wada proibiu a Rússia de disputar eventos como as próximas Olimpíadas de verão e inverno e a Copa do Mundo de 2022 por adulterar dados de laboratório sobre doping.

"A posição do Comitê Olímpico da Rússia permanece inalterada -- as sanções são inadequadas, ilógicas e excessivas", disse Pozdnyakov.

"É claro que estamos desapontados, mas inicialmente acreditamos que as recomendações do comitê executivo da Wada seriam aprovadas sem alterações, principalmente depois que os principais pontos foram divulgados", acrescentou

Ele também disse que o Comitê Olímpico da Rússia faria todo o possível para permitir que atletas russos competissem sob a bandeira do país nos Jogos Olímpicos de 2020 em Tóquio.

Em Paris, onde se reuniu com os presidentes da Ucrânia, da França e da Alemanha, o presidente da Rússia, Vladimir Putin, disse que Moscou tem base para recorrer da decisão da Wada, que ele disse violar a Carta Olímpica.

O comitê executivo da Wada agiu depois de concluir que a Rússia havia plantado evidências falsas e excluído arquivos vinculados a testes positivos de doping em dados de laboratório que poderiam ter ajudado a identificar casos de uso de substâncias proibidas.

(Reportagem de Gabrielle Tétrault-Farber)

Esporte