Topo

Esporte


Organizadores testam medidas contra o calor para a Tóquio 2020

25/07/2019 12h19

Por Jack Tarrant e Yoko Kono

TÓQUIO (Reuters) - Diante de temperaturas chegando aos 35 graus Celsius e uma umidade de 75% hoje, os organizadores da Tóquio 2020 terão o clima perfeito para testar suas medidas contra o calor e sua prontidão para a Olimpíada do ano que vem no evento de teste do vôlei de praia.

Embora esteja menos quente neste ano, uma onda de calor recorde registrada em julho de 2018 matou mais de uma dúzia de pessoas em Tóquio, que teve uma temperatura mensal média de mais de 30 graus pela primeira vez em 20 anos.

Os organizadores da Tóquio 2020 usarão artefatos de medição de temperatura de bulbo úmido (WBGT, na sigla em inglês) em todos os locais de competição como medida de prontidão para temperaturas altas.

Os WBGT levam em conta temperatura, umidade, velocidade do vento e radiação solar, produzindo uma classificação baseada nas variáveis, e o governo metropolitano de Tóquio aconselhou os cidadãos a não se exercitarem quando a medição dos WBGT superar 31.

Nesta quinta-feira, a medição dos WBGT na quadra de vôlei de praia, localizada no centro de Tóquio, chegou a 31,7, mas os organizadores disseram que isso não significa que um evento olímpico seria cancelado se isso acontecesse durante os Jogos.

A medição dos WBGT será um de muitos fatores a serem considerados, em consultas com a federação esportiva, quando se avaliar a segurança da realização de uma competição, segundo os organizadores.

"Tudo depende da situação, mas para os espectadores prepararemos instalações refrigeradas e cortesias", disse Ken Wakabayashi, autoridade ambiental do governo de Tóquio.

"Por outro lado, gostaríamos de incentivá-los a obter informações sobre as medidas contra o calor e desfrutar o evento."

Entre as outras medidas testadas estão sprays de vapor de água para os torcedores nos locais de competição, áreas de espera cobertas ou com ar-condicionado dentro destes locais e a distribuição de água e bolsas de gelo para atletas e torcedores.

Como duas pessoas precisaram de cuidados médicos no evento de vôlei de praia nesta semana, incluindo uma que sofreu insolação, os organizadores também queriam testar a prontidão para atender pessoas que adoeçam durante a Olimpíada. O governo de Tóquio disse que a equipe de primeiros-socorros trabalhou bem.

"Sentimos que é necessário debater como lidar com vários casos médicos nos próximos meses", disse Tomoko Suemura, que trabalha no departamento de preparação para os Jogos do governo local.

Esporte