PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Ferrari poderia ter chamado Leclerc para os boxes, segundo rádio

Esporte News Mundo (redacao@esportenewsmundo.com.br)

04/07/2022 21h55

Neste domingo (3), a Ferrari e Charles Leclerc colecionaram mais um momento confuso na sua relação. No final da corrida Ocon acabou abandonando e forçou um safety car faltando 12 voltas para o fim da corrida. Com esse incidente a equipe italiana conseguiu mais uma vez chamar a atenção.

+ Red Bull confirma que pedaços de AlphaTauri atrapalharam corrida de Verstappen

No momento que o safety car foi acionado Leclerc era o líder, porém o monegasco não foi chamado para por pneus macios igual ao seu parceiro de equipe, Carlos Sainz, e outros pilotos. Isso deixou o piloto da Ferrari extremamente vulnerável e resultou em um quarto lugar para Leclerc.

"A janela do safety-car está fechada. Permaneça na pista", informou à ocasião o engenheiro de Leclerc, Xavier Marcos Padros, repetindo as duas frases por mais de uma vez.

No pós corrida Leclerc foi questionado sobre o porque dele não ter parado naquele exato momento:

-Nós poderíamos ter feito isso, mas me disseram para permanecer na pista – disse Leclerc.

Siga o Esporte News Mundo no TwitterInstagram e Facebook

Antes das celebrações do pódio uma câmera de transmissão do GP de Silverstone captou uma conversa bem séria entre Charles Leclerc e Mattia Binotto, chefe da Ferrari. O monegasco nas entrevistas disse que “entendeu” as decisões e até tentou animar o chefe.

Binotto e Leclerc “conversando” no pós-corrida – Foto: Divulgação

-Temos que olhar o cenário todo. Do meu lado, só tenho a minha corrida - e, do meu lado, sinto que perdi muito tempo. Esta é apenas a minha visão, mas eu não vi o quadro completo. Não quero que o foco seja direcionado para minha corrida decepcionante. Meu companheiro de equipe venceu sua primeira corrida na Fórmula 1 e isso é muito especial – afirmou Leclerc.

Binotto nas entrevistas optou por um meio mais neutro sobre o ocorrido:

"Simplesmente disse a ele: 'eu entendo sua decepção, mas você fez uma corrida fantástica hoje'. Ele estava lutando no início e mais tarde na corrida também, quando não estava com pneus macios. A maneira como ele estava pilotando, protegendo a posição, foi incrível. Então, estar feliz é difícil, mas ficar calmo e positivo é importante – comentou o chefe da Ferrari.

Com o final da corrida os especialistas da Fórmula 1 conseguiram analisar os rádios das equipes e viram que a Ferrari teve 11 segundos para decidir se faria a parada de Leclerc ou não. Binotto disse que a decisão de não trocar os pneus do monegasco foi estratégica.

-Nós pensamos que uma parada dupla seria impossível de ser feita, então tivemos que tomar uma decisão. Escolhemos Carlos (Sainz) para ir aos boxes porque Charles (Leclerc) estava à frente e seus pneus, mais novos e frescos. Estávamos contando que os macios iriam se degradar mais rapidamente – contou o chefe da Ferrari.

Em certo ponto da volta com o safety car, Leclerc disse "ainda posso parar?", porém seu engenheiro, Xavier Marcos Padros respondeu  "é tarde demais agora". Xavier concluiu dizendo que Sainz e Hamilton haviam parado, porém ele disse que os pneus macios seriam "0s5 mais rápidos na primeira volta, e depois, alta degradação".

Leclerc e a Ferrari terão uma chance de resolver essa confusão neste fim de semana na Aústria. A Fórmula 1 chega para o GP de Spielberg nesta sexta (8), a corrida será no domingo (10).

Futebol