PUBLICIDADE
Topo

Duílio afirma que o Corinthians segue monitorando situação de Cavani: 'Vou tentar'

Duilio Monteiro Alves, presidente do Corinthians, sorri em entrevista coletiva no CT Dr. Joaquim Grava - Rodrigo Coca/Agência Corinthians
Duilio Monteiro Alves, presidente do Corinthians, sorri em entrevista coletiva no CT Dr. Joaquim Grava Imagem: Rodrigo Coca/Agência Corinthians

Esporte News Mundo (redacao@esportenewsmundo.com.br)

22/01/2022 08h30

O presidente do Corinthians, Duílio Monteiro Alves, participou da Central do Mercado, na tarde desta sexta-feira (21), e falou sobre a busca pelo tão sonhado camisa 9 do Timão. Além de descartar a contratação de Diego Costa, o mandatário afirmou que o clube segue de olho na situação do uruguaio, Edinson Cavani, de 34 anos. Tendo contrato com o Manchester United até metade de 2022, o centroavante já pode assinar um pré-contrato com qualquer outro time.

"Não dá para prever nada. Ele pode continuar por mais dois anos ou três (na Inglaterra). Ele pode sair de lá agora. Qualquer coisa que eu falar pode gerar uma expectativa e frustrar a torcida lá na frente. Eu tenho que buscar o que tem de melhor no mundo. Posso não conseguir, mas vou tentar. Admiti que fui atrás do Cavani e virei chacota. Falei que fui atrás do Neymar e virei chacota. O Corinthians é muito maior do que esses caras. Minha obrigação é de ir atrás do que tem de melhor. Quem imaginava que o Willian estaria aqui?", disse o presidente corintiano. .

Para Duílio, Cavani e Diego Costa possuem potencial de marketing, e assim, poderiam ser bancados por parceiros para atuar no Corinthians. Algo diferente do caso envolvendo Arthur Cabral, do Basel.

"O que deixamos muito claro é que esses grandes nomes, como Cavani e Diego, têm potencial de marketing. As empresas querem um nome de impacto para que tenha retorno. É preciso um jogador com muita mídia para que paguem o salário. Se o Arthur viesse, e não tivesse essa marca, com tanto peso, teria que se encaixar na nossa folha salarial. Existe essa chance de achar um centroavante que façamos a contratação, sem compra, e faria isso sozinho, mas temos que ter o valor do salário do atleta dentro da nossa folha para não descumprir o teto".

A situação do brasileiro na Suíça também é complicada. A pedida do Basel pelo atleta de 23 anos, ultrapassa os 15 milhões de euros e um empréstimo não deve ser aceito pelo clube, que lidera a liga nacional.

"Excelente jogador, jovem, forte, com gols. Mas tem contrato vigente. Falam em 15 milhões de euros, não faremos esse investimento. Lógico que nos ajudaria, mas a chance de compra é impossível. Não faremos uma dívida desse tamanho. Se tiver chance de empréstimo, poderia, sim, ser um jogador. Com perfil diferente dos que vinham sendo citados", falou Duílio.

Sem a definição de quem será o seu novo centroavante, o Corinthians segue de olho em oportunidades de mercado, a data limite para resolver a situação é abril, período que começa a fase de grupos da Copa Libertadores.