PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Técnico de time de Cejudo explica convite a Jon Jones para participar de treinos

Esporte News Mundo (redacao@esportenewsmundo.com.br)

07/12/2021 20h48

Afastado de sua antiga equipe, a Jackson-Wink, Jon Jones tenta achar uma casa para poder treinar e prosseguir se preparando para voltar a lutar. Nas últimas semanas, o ex-campeão dos meio-pesados do UFC tem feito atividades na Fight Ready, em Phoenix, no Arizona (EUA).

A academia se localiza em região a uma certa distância de Albuquerque, no Novo México, aonde ‘Bones’ mora. O time, onde treina o também ex-campeão do Ultimate, Henry Cejudo, convidou Jones a treinar nas instalações da equipe e um de seus treinadores, Eddie Cha, comentou sobre o assunto ao MMAFighting.

– O Henry me ligou e me disse que o Jon tinha conversado com ele e que queria treinar com a gente. Acabamos preparando algo para ele aqui e estamos bastante entusiasmados de tê-lo aqui – afirmou Cha, que contou detalhes sobre a decisão de aceitar Jones em seu time.

LEIA TAMBÉM]

+ Técnico de McGregor elenca possíveis rivais do irlandês em retorno ao UFC

– Tudo aqui é feito como uma equipe. O dono, David Zowine, fala com cada um de nós e nos pergunta o que achamos de trazer alguém e falamos sim ou não e explicamos nossas razões. Para mim, não foi dificil. Acho que as pessoas cometem erros e tudo o que o Jon faz é alvo de todo mundo. Não o conheço pessoalmente, mas procurei com outras pessoas e sei que gente como Greg Jackson e Brandon Gibson sempre me falaram que nunca tiveram problemas com ele – completou.

O afastamento de Jon Jones da Jackson-Wink foi anunciado por Mike Winkeljohn, um dos chefes do time, alegando como justficativa as questões ligadas ao álcool e à acusação de agressão contra a noiva Jessie Moses. Sobre o assunto, o treinador não quis dar opinião mas colocou que não há como negar o pedido de ‘Bones’ para integrar o time por causa do caso de violência doméstica

– Ninguém aqui apoia as coisas que ele fez, mas também qualquer um de nós pode cometer erros. Fiquei super feliz de poder trabalhar com Jon e vê-lo como pessoa. Disse a eles que não podemos julgar Jon até que possamos conhecê-lo bem. E fiquei muito impressionado com ele, como atleta e pessoa.

Futebol