PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Com gol de Deyverson, Palmeiras derrota Flamengo na prorrogação e fatura o Tri da Libertadores

Esporte News Mundo (redacao@esportenewsmundo.com.br)

27/11/2021 19h56

Fiel e comprometido. Assim foi o Palmeiras neste sábado ao plano desenhado por Abel Ferreira. Disciplinado e jogando da forma que o seu treinador idealizou, foi assim que o Alviverde buscou o tricampeonato da Libertadores da América. Com uma atuação cirúrgica e com um herói improvável, o a equipe paulista venceu por 2 a 1 o Flamengo, em Montevidéu, garantindo o terceiro título continental de sua história.

Raphael Veiga, artilheiro da temporada do Palmeiras, foi o responsável por abrir o placar ainda no primeiro. No segundo tempo, Gabigol, sempre ele, manteve o sonho vivo do título da Libertadores. Mas coube a outro camisa 9, esse muito mais contestado e já duramente criticado por torcida e imprensa. Deyverson é um caso a parte dentro do Alviverde. Já foi artilheiro, já foi contestado, já foi emprestado mas neste sábado, o atacante chegou ao seu ápice. Foi dos pés dele que veio o gol do tri da Libertadores. Logo dele, o herói tão improvável quanto Breno Lopes em 2020. Mais uma vez a história se repete.

E justiça seja feita a Abel Ferreira, que foi cirúrgico em suas escolhas táticas e fez com que o Palmeiras tivesse uma atuação brilhante defensivamente e fosse mortal nas poucas chances, mas perfeitamente aproveitadas. Agora o Palmeiras aguarda a disputa de mais Mundial, desta vez em fevereiro de 2022, nos Emirados Árabes Unidos.

De contestado e criticado, Deyverson virou o herói do tricampeonato da Libertadores para o Palmeiras (Photo by Ernesto Ryan/Getty Images)

Ao Flamengo, agora resta tentar buscar, ainda que seja muito difícil, o título Brasileiro, onde é a última chance de conquistar alguma competição em 2021 que não seja o Carioca. E haja pressão para cima de Renato Gaúcho, após mais uma derrota a frente do Rubro-Negro.

Na próxima terça-feira, Palmeiras e Flamengo já viram a chave e voltam a campo pelo Campeonato Brasileiro. O Alviverde, visita o Cuiabá, às 22h, no Mato Grosso. Já o Flamengo terá um melancólico reencontro com seu torcedor no Maracanã, às 20h.

O JOGO

Como de costume, quem tomou a primeira iniciativa na partida foi o Flamengo. Por estilo de jogo, o Rubro-Negro tentou dominar a posse de bola e pressionar. Também fiel a sua filosofia, o Palmeiras marcava forte para sair em velocidade em busca de levar perigo. Em menos de cinco minutos, ambas as equipes já haviam tentado boas investidas.

Aos cinco minutos, o Palmeiras encontrou o caminho. Lançado em profundidade, Mayke invadiu a defesa do Flamengo pela direita e só rolou para trás para Raphael Veiga, o artilheiro da temporada, chapar e abrir o placar em Montevidéu. O gol assustou o Rubro-Negro que começou a dar mais espaço ainda para o Alviverde, que explorava principalmente o lado direito de ataque com muita liberdade.

Mais calmo e usando a posse de bola para acalmar o jogo, o Flamengo começou a diminuir o ritmo da partida. Porém, esbarrava na ótima defesa armada e postada pelo Palmeiras. Aos 16′, Bruno Henrique recebeu ótima bola de Andreas Pereira, cortou Luan mas acabou sendo desarmado por Mayke.

Tranquilo e em vantagem, o Palmeiras não tinha a posse de bola, mas também não dava nenhum espaço para o Flamengo levar qualquer tipo de perigo para o goleiro Weverton. E no contra-ataque, a cada avanço alviverde, era um deus nos acuda para zaga rubro-negra.

Demorou, mas veio já perto do fim do primeiro tempo a grande chance do Flamengo empatar. Após cruzamento na área, Bruno Henrique escorou para Arrascaeta que dominou no peito e finalizou para espetacular defesa de Weverton. Apesar da boa chance, o Rubro-negro pouco produzia e via o Palmeiras ser muito perigoso nos contra-ataques.

Na volta para o segundo tempo, o Flamengo voltou com uma postura completamente diferente. Em menos de dois minutos, o Rubro-Negro já havia chegado duas vezes com perigo, as duas nos pés de Gabigol, que na hora de decidir, falhou em ambas. O Palmeiras, tão perfeito na marcação na primeira etapa, parecia começar a dar espaço para o Rubro-Negro jogar.

Aos 7′, o Palmeiras achou mais uma vez espaço com Rony, que finalizou e exigiu defesa espetacular de Diego Alves para impedir que o Alviverde ampliasse o placar. A melhor jogada até os 15′ eram sempre nas bolas áreas. David Luiz teve a chance e parou em Weverton, enquanto Bruno Henrique achou bela cabeçada que passou raspando na trave.

Fiel a estratégia de se defender e buscar o contra-ataque, o Palmeiras pouco assustava o Flamengo nas esporádicas ida ao ataque. E a postura defensiva demais uma hora pagou o seu preço. Aos 28′, Gabigol entrou pela esquerda tabelando com Arrascaeta, invadiu a área e finalizou perto do pé da trave, sem chances para Weverton. Tudo igual no Centenário de Montevidéu.

Palmeiras é tricampeão da Libertadores Foto: Cesar Greco/Palmeiras

Com a igualdade no placar, o Flamengo se manteve mais ofensivo e esteve mais próximo de virar do que o Palmeiras de voltar a liderar a partida. Aos 40′, Michael teve a chance ouro de colocar o Rubro-Negro a frente. Após lindo passe de Arrascaeta, o camisa 19 invadiu área pela direita e bateu ao lado da meta de Weverton. Oportunidade de ouro desperdiçada.

E a oportunidade perdida por Michael aos 40′ foi o último lance perigo do período normal. Após 90 minutos, 1 a 1 no placar e prorrogação em Montevidéu. Abel Ferreira e Renato Gaúcho aproveitaram para mexer em suas equipes. Deyverson entrou pelo Palmeiras e Kennedy pelo Flamengo. E foi justamente quem veio do banco que mudou a história do jogo. Após vacilo feio de Andreas Pereira, Deyverson roubou a bola, partiu em direção ao gol no mano a mano com Diego Alves e finalizou para colocar o alviverde de novo na frente.

Novamente atrás, o Flamengo precisava de novo ir ao ataque para manter o sonho do tri da Libertadores vivo. Aos 6′, Gabigol teve chance de ser protagonista de novo, mas finalizou muito por cima do gol de Weverton. O Rubro-Negro seguiu na pressão, mas não conseguia finalizar. De novo a frente do placar, o Palmeiras recolocou sua estratégia de contra-atacar em ação.

O segundo tempo da prorrogação foi de tudo ou nada para o Flamengo. Com menos de 15 minutos para correr atrás do empate, o Rubro-negro se lançou de qualquer jeito ao ataque. Já o Palmeiras se manteve forte na defesa para não deixar escapar a vantagem conquistada. Apesar da forte pressão feita pelo time carioca, não houve uma chance clara de empatar a partida.

FICHA TÉCNICA

Flamengo 1 x 2 Palmeiras

Local: Montevideú (URU)
Estádio: Centenário
Árbitro: Néstor Pitana (ARG)
Gols: Raphael Veiga (PAL – 1ºT 5′), Gabigol (FLA – 2ºT 28′), Deyverson (PAL – 1ºTP 4′)
Cartões Amarelo: Rodrigo Caio, Gabigol, Arrascaeta (FLA) e Piquerez, Gustavo Gómez, Abel Ferreira, Felipe Melo (PAL)
Cartões Vermelho:

Flamengo: Diego Alves; Isla (Matheuzinho), Rodrigo Caio, David Luiz e Felipe Luís (Renê); William Arão, Andreas Pereira (Pedro), Everton Ribeiro (Michael) e Arrascaeta (Vitinho); Gabigol e Bruno Henrique (Kennedy). Técnico: Renato Gaúcho

Palmeiras: Weverton; Mayke (Gabriel Menino), Luan, Gustavo Gómez e Piquerez (Felipe Melo); Danilo (Patrick de Paula), Zé Rafael (Danilo Barbosa), Gustavo Scarpa, Raphael Veiga (Deyverson) e Dudu (Wesley); Rony. Técnico: Abel Ferreira

Futebol