PUBLICIDADE
Topo

MMA


MMA

Bicampeã olímpica no judô quer lutar contra Cyborg: 'Grande teste para mim'

Kayla Harrison disse que quer ser "a maior de todas" e ressaltou experiência da brasileira - Julian Finney/Getty Images
Kayla Harrison disse que quer ser "a maior de todas" e ressaltou experiência da brasileira Imagem: Julian Finney/Getty Images

Esporte News Mundo (redacao@esportenewsmundo.com.br)

23/11/2021 19h34

Kayla Harrison, mais uma vez, venceu o torneio da PFL e, agora, está sem contrato com esta organização. Enquanto espera para decidir onde seguirá sua carreira, a bicampeã olímpica no judô ganhou uma possível adversária no Bellator: a brasileira Cris Cyborg.

Harrison assistiu à mais recente luta da paranaense, na qual esta venceu a Sinead Kavanagh por nocaute e foi desafiada pela brasileira para se juntar a ela no Bellator. Harrison afirmou em entrevista ao site MMAFighting que tem o desejo de subir ao cage com uma das grandes personagens do MMA feminino.

"Eu quero lutar com a Cris e eu preciso lutar contra ela. Sou lutadora jovem, em ascensão e pronta para brilhar. E ela é a veterana. Mas estou nos passos dela também. Estou indo atrás dela, mas talvez ela não precise ou não queira lutar comigo, por mim, tudo bem. Mas eu irei atrás disso com tudo que eu tenho. Porque eu preciso ser a melhor, quero ser a maior de todas e é isso. Todo mundo sabe que quero lutar contra Cris Cyborg e não é segredo para ninguém", declarou Harrison.

Para que o duelo entre a bicampeã da PFL e a campeã do Bellator possa acontecer, primeiro Kayla Harrison deve resolver sua situação com a PFL ou outras organizações. Sem contrato com sua antiga entidade, a americana está agora livre para assinar com outras promoções do MMA. Se isto significaria a chance até mesmo de ir ao UFC, onde poderia ter Amanda Nunes como grande, a bicampeã olímpica prefere deixar isso nas mãos dos responsáveis pela carreira.

"Não estou infeliz lá na PFL. Só tenho coisas boas a falar deles. Tentamos um acordo antes das finais, mas as coisas são saíram conforme o planejado. Todo mundo quer saber aonde irei, se para o UFC, o Bellator, a PFL… Eu não tenho resposta. Irei confiar no que meus treinadores disserem. Meu trabalho é confiar neles e, onde eles quiserem que eu vá, eu irei", comentou.

MMA