PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Testes da Fórmula 3 terão mulheres da Iron Dames e W Series

Esporte News Mundo (redacao@esportenewsmundo.com.br)

29/10/2021 08h31

A Fórmula 3 anunciou na quarta-feira, 27, que os testes de pré-temporada em Magny-Cours nos carros da categoria terão presença de pilotas da equipe Iron Dames e da categoria feminina W Series. Os testes gerais da F3 vão do dia 1º ao dia 3 de novembro. Os específicos pra W Series são no dia 9 de novembro, e o da Iron Dames é no dia 10 do mesmo mês.

(Foto: via site oficial W Series)
Nerea Martí e Irina Sidorkova, pilotas da W Series Academy (Foto: via site oficial W Series)

O CEO da FIA Fórmula 3, Bruno Michel, afirmou que é um plano para aumentar a diversidade na ‘pirâmide’ da FIA de monopostos, e que isso é algo muito importante para a organização:

? Esse teste na Fórmula 3 é parte de um plano maior sobre diversidade, com o objetivo de permitir mais pilotos mulheres a entrar no nosso campeonato num futuro próximo. Hoje, não é fácil para as mulheres terem acesso à pirâmide de monopostos da FIA. Nós queremos ajudar a mudar isso.

(Divulgação / CamposRacing)
Sophia Flörsch enquanto competia com a Campos Racing na Fórmula 3 (Divulgação / CamposRacing)

Atualmente, não há mulheres nas três maiores categorias da Fórmula (1, 2 e 3), sendo 72 pilotos homens. A última vez que as categorias tiveram representantes femininas foi em 2020, com a alemã Sophia Flörsch na Fórmula 3; antes, a colombiana Tatiana Calderón fez parte da F2, até 2019. Agora, a alemã é pilota na DTM, em carros de turismo, e na FIA Wec, pilotando protótipos da classe LMP2; Calderón, que foi companheira de Sophia Flörsch na FIA Wec, retornou para a Super Formula.

Nerea Martí e Irina Sidorkova – W Series

(Foto: via site oficial FIA Formula 3)
Dupla é uma das mais jovens da categoria (Foto: via site oficial FIA Formula 3)

A dupla escolhida da W Series que ganhará uma chance de testar os carros da F3 será composta pela espanhola Nerea Martí, e pela russa Irina Sidorkova. Elas estrearam nessa temporada da W Series, competindo pela W Series Academy, a academia oficial da competição. Sidorkova conquistou seu primeiro pódio na segunda etapa do ano, no circuito de Red Bull Ring, enquanto Martí foi pódio em Hungaroring, na quarta corrida da temporada.

Siga o Esporte News Mundo no TwitterInstagram e Facebook

Apesar de ambas não serem grandes destaques da categoria, com a espanhola terminando a temporada em quarto lugar e a russa em nono, Bruno Michel revelou que a escolha, em conjunto com a CEO da W Series, Catherine Bond Muir, foi feita também pensando nas idades das pilotas. Sidorkova tem apenas 18 anos, e Martí tem 19:

? Depois de discussões com a CEO da W Series, Catherine Bond Muir, nós concordamos que deveria existir uma ponte entre a categoria delas e a pirâmide de monopostos. Nós também concordamos que as pilotas da W Academy estão na melhor idade para, eventualmente, poder entrar na categoria, e assim selecionamos elas para essa sessão de testes. Essa é uma oportunidade bem animadora e já estamos pensando nos próximos passos para que isso não seja uma coisa única.

Maya Weug e Doriane Pin – Iron Dames

(Foto: via site oficial FIA Formula 3)
Maya Weug e Doriane Pin já disputaram vaga na Fórmula 4 durante o FIA Girls on Track (Foto: via site oficial FIA Formula 3)

As duas pilotas da Iron Dames que estarão em Magny Cours no dia 10 serão Maya Weug e Doriane Pin. Assim como a dupla da W Series, são duas pilotas muito jovens, ambas com 17 anos, e que atualmente já competem em alto nível, mas não com muitas chances nas maiores categorias da FIA.

Maya Weug foi campeã da primeira edição da iniciativa FIA Girls on Track – Rising Stars (Garotas na Pista – Estrelas em Ascensão), superando as brasileiras Julia Ayoub e Antonella Bassani, além da francesa Doriane Pin. Vencendo o concurso, a espanhola ganhou uma vaga na Fórmula 4 italiana, além de entrar para a Academia de Pilotos da Ferrari. Entre os estreantes na competição, é a sexta colocada, com uma etapa para o fim da temporada.

(Divulgação / Ferrari Driver Academy)
Maya Weug foi a primeira mulher à integrar a Academia de Pilotos da Ferrari (Divulgação / Ferrari Driver Academy)

Já Doriane Pin, uma das quatro finalistas do Girls on Track, apesar de não conseguir a vaga para a F4 italiana, se juntou ao time Iron Dames. A equipe é um projeto especial formada pela pilota Deborah Mayer, em conjunto com a Iron Lynx. É composta exclusivamente de pilotas, participando em diversas competições em carros de turismo, e Doriane Pin pilota, principalmente, na Le Mans Cup.

Sobre a parceria com a Iron Dames, o CEO da F3 destacou também que é mais uma dupla com muito futuro e que já participa em competições de alto nível. Outro ponto importante para Bruno Michel é o começo de trabalhos conjuntos com projetos como a Iron Dames:

? Um ponto chave para isso acontecer é criar conexões entre nossos campeonatos e programas que promovem mulheres no automobilismo. Assim, decidimos oferecer um teste na F3 para duas pilotas do programa Iron Dames, apoiado tanto pela FIA quanto pela Academia de Pilotos da Ferrari. É liderado pela Deborah Mayer, uma parceira ativa da F2 e da F3. Maya e Doriane são muito jovens, e enquanto elas escalam suas curvas de aprendizado no automobilismo, é importante nós darmos oportunidades agora para auxiliar elas a construírem suas carreiras, algo que poderia levar a uma participação nas nossas competições.

(Divulgação / Doriane Pin)
Doriane Pin já conquistou quatro pódios na temporada do Le Mans Cup com sua Ferrari (Divulgação / Doriane Pin)

A líder do projeto Iron Dames, Deborah Mayer, relatou sobre a grande oportunidade que se mostra para suas pilotas, e que isso é um crescimento para o automobilismo feminino:

? É mais uma grande marca no estímulo para talentos femininos no automobilismo e representa tudo que eu coloquei à Iron Dames: abrir portas para as mulheres ambiciosas. Somos mulheres movidas por sonhos, […] e é importante que projetos como esse continuem a oferecer essas oportunidades. Será importante para demostrar para Maya e Doriane como é esse nível de competição. Serão os carros mais rápidos que elas já dirigiram até aqui, e será um bom preparo para o futuro de suas carreiras.

Essa oportunidade não deve alterar, imediatamente, o cenário feminino na pirâmide da FIA. No entanto, a parceria entre a F3, inicialmente, e projetos que estimulem a participação de mulheres no automobilismo pode ser a chave para mudar a situação, já que desde 1976 o grid da Fórmula 1 não tem uma mulher. A temporada na Fórmula 3 em 2022 começa em 18 de março, no GP do Bahrein. O nono e último fim de semana é em Monza, com começo marcado para 9 de setembro.

Futebol