PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Atlético-MG encara o Palmeiras pela consolidação do projeto, pela premiação e por uma final histórica

Esporte News Mundo (redacao@esportenewsmundo.com.br)

28/09/2021 07h40

Na noite desta terça (28), Atlético-MG e Palmeiras estarão frente a frente lutando por uma vaga na final da Libertadores 2021. Para o Galo, avançar vale uma parte importante consolidação do recente projeto, muito dinheiro nos cofres e uma possível final para um “acerto de contas”.

+ Ansioso, Arana fala de preparação para decisão contra o Palmeiras e afirma: 'Quem errar menos vai sair com a vitória'

+ Savarino e Diego Costa vão à campo, mas ainda são incertos para duelo contra o Palmeiras

O projeto do Atlético com estádio próprio, investimentos altos em contratações e na formação de jogadores se iniciou a pouco tempo. Algo diferente do adversário Palmeiras, que iniciou essa fase há anos. Para o Galo, uma final de Libertadores em um período curto de projeto, pode ser a forma de mostrar que tudo está caminhando do jeito certo, até mais rápido do que se imaginava. A caminhada ainda é longa, mas esses primeiros passos são de suma importância para o clube mostrar que vai se reerguer ao invés de se afundar ainda mais.

Avançando e chegando na final, é bem provável que o Atlético faça frente ao Flamengo, fazendo da maior rivalidade interestadual do Brasil, também a maior rivalidade das Américas. A final já seria histórica só pelo nível dos dois times, mas, a história por trás do clássico, torna tudo ainda maior. Para o Galo, seria a chance de vingar a polêmica Libertadores de 1981 e a final do Brasileirão 1980, ambas perdidas para o rubro-negro.

O polêmico jogo da Libertadores de 1981 não foi a final, mas todos sabiam que ali jogavam os dois melhores times do continente e, quem passasse, seria campeão. O que aconteceu com o Fla – Foto: Jornal Estado de Minas / Arquivo

Além de uma possível final histórica, a final também encheria os cofres do Galo. Ao longo da competição, já foram cerca de R$ 42 milhões em premiações. Chegando na finalíssima, o alvinegro garante mais R$ 32 milhões, sendo vice, ou mais R$ 80 milhões, sendo campeão.

+ Opinião: Atlético-MG deveria jogar durante a data FIFA, mesmo sem jogadores convocados

O Atlético jogará mais do que uma semifinal de Libertadores, que já é grande por si só. Há muito em jogo para o alvinegro, e o Palmeiras não vai deixar nada barato. Por isso, é importante ressaltar que, caso não avance, não será o fim dos tempos. Como dito, é um projeto novo, que já bate uma semifinal de Libertadores e que ainda tem Copa do Brasil e Brasileirão pela frente, com alta possibilidade de vencer.

Por Alecsander Heinrick

Futebol