PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Eficácia e consistência: as palavras que o América-MG persegue em 2021

Esporte News Mundo (redacao@esportenewsmundo.com.br)

20/09/2021 20h14

Desde o início do ano, o América-MG tinha muito claro que essa seria a mais importante temporada do clube em muitos anos. A volta para a Série A foi apenas um dos motivos. A grande projeção que a equipe ganhou em 2020 e o projeto de clube-empresa são outros motivadores da relevância deste ano para a história do time. Duas palavras acompanham o desempenho do Coelho desde os primeiros jogos: eficácia e consistência.

+São Paulo e América-MG terá arbitragem catarinense

Foram poucos os momentos em que o alviverde jogou verdadeiramente mal no ano. Talvez no final da era Lisca e logo depois do começo do Mancinismo. Mas foi uma minoria em meio aos jogos de boas atuações. A ,equipe é competitiva, e ja era antes dos reforços que chegaram no meio da temporada. Porém, faltam alguns ajustes que permitiriam a alçada a voos maiores.

CONSITÊNCIA

Essa palavra está intimamente ligada ao sistema defensivo. O América começou o ano com Anderson e Messias fazendo o miolo da zaga. A maior referência do time foi para o Ceará e desde então a equipe passa por altos e baixos no seu setor de defesa. Em dado momento da temporada, o Coelho foi a melhor defesa do Mineiro e uma das melhores do Brasil.

+Com Mancini, América-MG tem aproveitamento de G8; veja números

Já em outros, principalmente durante o Brasileiro, as falhas defensivas ocorriam todos os jogos e causavam muita preocupação. Nas últimas partidas, Lucas Kal aparentemente ajudou a acertar o setor, mas ainda há desconfiança.

A história mostra que para se livrar do rebaixamento, os clubes precisam desenvolver uma força defensiva muito grande durante o Campeonato. Para isso, muitos times dão passos atrás em seu esquema, optando pela reação e especulação. O América não joga assim, agride o tempo inteiro e essa é a essência.

Para se manter, as falhas deverão se diminuir.

EFICÁCIA

Já essa palavra diz respeito ao ataque. O América cria muito. Isso não é nenhuma novidade. Desde antes da chegada de Berrio, Fabrício Daniel e Zárate, a equipe sempre buscou o gol do adversário. Porém, durante todo o ano os erros na hora de converter as chances criadas também mancharam a temporada.

+Sai Kal, entra Azevedo: América-MG treina de olho no São Paulo

Tanto que o artilheiro do time ainda é Rodolfo, com oito gols. A falta de eficácia é um problema apontado tanto pelos treinadores quanto pelos jogadores. É possível notar que preocupa a todos no CT Lanna Drummond.

Talvez a boa notícia seja exatamente a chegada dos grandes atacantes já citados acima. Fabrício Daniel já mostrou que tem predicados para ser muito importante, assim como Zárate. Berrío ainda aparece fora de ritmos. Quanto aos jogadores que já estavam no elenco, Ademir e Felipe Azevedo seguem sendo muito confiáveis.

Aparentemente, para conseguir a tão sonhada permanência, o Coelho precisará transformar o sonho da consistência e da eficácia em realidade. E as últimas partidas dão motivos para sonhar.

Futebol