PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Jogos de Tóquio foram os mais vistos da história, informa COI

09/12/2021 01h00

Genebra, 8 dez (EFE).- Com uma audiência global de mais de 3 bilhões de espectadores, os Jogos Olímpicos de Tóquio foram os mais assistidos da história, de acordo com um estudo do Comitê Olímpico Internacional (COI) divulgado nesta quarta-feira.

Embora tenham sido fechados pessoalmente ao público pela primeira vez devido à pandemia da Covid-19, os Jogos da capital japonesa proporcionaram a maior transmissão olímpica de todos os tempos, segundo o COI.

A cobertura oficial de Tóquio 2020, através de plataformas digitais e seus canais associados, gerou 28 bilhões de visualizações de vídeo no total, um aumento de 139% em comparação com o Rio 2016, observou o relatório.

Além disso, o estudo aponta que a quantidade total de cobertura televisiva disponível aumentou em 33% em comparação com os Jogos da capital fluminense, enquanto a produção digital aumentou em 34%.

O presidente do COI, Thomas Bach, declarou em entrevista coletiva que os números refletem o sucesso de Tóquio 2020, assim como a mudança no cenário da comunicação e a crescente interação do público jovem com os Jogos Olímpicos.

Bach também anunciou o lançamento de um pacote de ajuda humanitária para a comunidade olímpica e paralímpica no Afeganistão, em parceria com a Agência das Nações Unidas para os Refugiados (Acnur). O pacote beneficiará aproximadamente 2 mil pessoas a um custo de US$ 256 cada.

Quanto ao boicote diplomático aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim, iniciado pelos Estados Unidos na semana passada e acompanhado por Reino Unido, Austrália e Canadá, sob a alegação de violação dos direitos humanos no gigante asiático, o COI insistiu em sua neutralidade política.

"A neutralidade política tem sido um valor intrínseco dos Jogos Olímpicos desde seu início, e nestes tempos de confronto político ela se torna mais importante do que nunca", destacou o dirigente alemão.

"Nós do COI reafirmamos a importância de todos os atletas dos países membros que participam e asseguramos que a integridade da competição não seja posta em risco", acrescentou.

Bach voltou a falar sobre a tenista Shuai Peng, que há pelo menos um mês tem paradeiro desconhecido. Ela tem aparecido em público apenas em vídeos da imprensa oficial chinesa desde que denunciou abusos sexuais por parte de Zhang Gaoli, vice-primeiro-ministro chinês entre 2012 e 2017, e recentemente conversou com membros do COI através de uma chamada de vídeo.

"Vamos continuar nosso monitoramento através de videoconferências. A prioridade é garantir sua integridade física, um dos direitos humanos fundamentais", comprometeu-se. EFE

Esporte