PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Meia-atacante da Argentina critica autoridades brasileiras

16/09/2021 23h06

Sevilla (Espanha), 16 set (EFE).- O meia-atacante argentino Alejandro Gómez, do Sevilla, criticou em entrevista veiculada nesta quinta-feira a forma como as autoridades brasileiras atuaram antes do jogo entre as seleções de Brasil e Argentina, pelas Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2022, que acabou suspenso.

"Eles poderiam ter nos avisado dois ou três dias antes. Eles esperaram que o jogo começasse para entrar no campo, algo nunca visto antes. Foi um fato lamentável e vergonhoso, que mancha o futebol sul-americano. Havia muitas estrelas e muitas pessoas, que no final é quem paga", disse o jogador ao site "muchodeporte.com".

A decisão de suspender o jogo, que deveria ter ocorrido integralmente no último dia 5, veio depois que a Argentina decidiu se retirar de campo, por fiscais da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) invadirem o gramado em busca de quatro jogadores que fornecerem informações falsas à imigração ao entrarem no Brasil.

Os atletas em questão são o goleiro Emiliano Martínez, o zagueiro Cristian Romero e os meias Emiliano Buendía e Giovani Lo Celso, que atuam no futebol inglês e, após terem jogado por suas equipes, se juntaram à seleção argentina.

Papu Gómez, que se recuperou da covid-19 em agosto deste ano, ainda garantiu acreditar que o que aconteceu antes do clássico, que terá desfecho definido pela Fifa, responsável pela organização das Eliminatórias, é "algo que vai além do futebol", sem entrar em detalhes sobre a afirmação.

Esporte