PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Rebeca Andrade e Arthur Zanetti não conseguem aumentar coleção de medalhas

02/08/2021 16h30

Tóquio, 2 ago (EFE).- Primeira mulher e primeiro homem, respectivamente, a conquistarem medalhas de ouro para o Brasil na ginástica artística em Jogos Olímpicos, Rebeca Andrade e Arthur Zanetti não conseguiram voltar ao pódio nesta segunda-feira, em dia de finais individuais.

Campeã no salto e prata no individual geral feminino, Rebeca participou hoje da disputa por medalhas do solo e voltou a empolgar na Arena Ariake, em Tóquio, com uma versão do funk Baile de Favela, composta originalmente pelo MC João.

Andrade, contudo, teve um pequeno erro na primeira acrobacia, ao pisar fora do tablado, e com isso obteve nota total de 14,033, o que não foi suficiente para que ela subisse pela terceira vez ao pódio na capital japonesa.

O ouro da competição ficou com a americana Jade Carey, com 14,366 pontos, seguida pela italiana Vanessa Ferrari, que obteve 14,200. O terceiro lugar foi dividido pela japonesa Mai Murakami e pela russa Angelina Melnikova, empatadas com 14,166.

Pouco antes, na final das argolas, Arthur Zanetti foi em busca de sua terceira medalha olímpica, após o ouro conquistado em Londres 2012 e a prata que recebeu no Rio 2016. Classificado em quinto nas eliminatórias, o brasileiro já não ostentava a condição de favorito.

Ainda assim, ele esteve muito perto de um grande resultado, com a boa execução dos exercícios. Na saída do aparelho, no entanto, arriscou em um movimento mais ousado, o triplo mortal grupado, e acabou caindo de barriga no chão.

Dessa forma, Zanetti terminou em oitavo, com nota 14,133. A China dominou a prova, ficando com ouro e prata, com Yang Liu e Hao You, respectivamente. A terceira colocação ficou com um dos grandes rivais da carreira do brasileiro, o grego Eleftherios Petrounias.

Caio Souza também tentou subir ao pódio nesta segunda-feira, no salto, mas sofreu queda na aterrissagem e obteve nota 13,683, a sétima melhor, entre oito finalistas. O ouro ficou acabou com o sul-coreano Jeahwan Shin, que terminou com a mesma nota do russo Denis Abliazin, mas venceu pelo desempate, que é o maior grau de dificuldade do exercício. O bronze foi para o armeno Artur Davtyan.

Da ginástica artística veio uma das principais notícias desta segunda-feira, a decisão da americana Simone Biles de participar da final da trave, conforme divulgou a federação dos Estados Unidos da modalidade.

A dona de seis medalhas olímpicas havia optado por não disputar as finais do individual geral, do salto, das barras assimétricas e do solo, alegando o desejo de cuidar da saúde mental.

Entre as adversárias de Biles na briga pelo ouro na trave, nesta terça-feira, estará a brasileira Flávia Saraiva, que corre contra o tempo para se recuperar de uma lesão sofrida na disputa do solo do individual por equipes.

REGATA ADIADA.

Esperança de medalha, inclusive de ouro, para o Brasil na vela, Martine Grael e Kahena Kunze tiveram a 'medal race' da classe 49erFX adiada devido a falta de ventos nas águas de Enoshima, onde acontece a disputa da modalidade.

As brasileiras, que subiram ao topo do pódio no Rio de Janeiro, em 2016, ocupam a segunda posição na classificação geral, atrás apenas das holandesas Annemiek Bekkering e Annette Duetz.

DERROTA NO VÔLEI E HANDEBOL.

A dupla formada por Evandro e Bruno Schmidt se despediu nesta segunda-feira do torneio masculino de vôlei de praia, com a derrota para Martins Plavins e Edgars Tocs, da Letônia, por 2 sets a 0, parciais de 21-19 e 21-18.

Os algozes dos ocupantes do quarto lugar do ranking mundial terão pela frente, nas quartas de final, mais brasileiros, em caso de vitória de Alison e Álvaro Filho sobre os mexicanos Gastón Gaxiola e Jose Luis Rubio, em partida que acontecerá ainda nesta segunda-feira.

Outro resultado negativo para o Brasil foi a derrota da seleção feminina de handebol, que perdeu para a França por 29 a 22 e deu adeus ao torneio olímpico ainda na fase de grupos, com apenas uma vitória em cinco partidas disputadas.

ISAQUIAS ESTREIA.

Ganhador de três medalhas de ouro no Rio de Janeiro, Isaquias Queiroz estreou ainda na noite deste domingo nos Jogos de Tóquio e, após participar das eliminatórias e quartas de final, junto com Jacky Godmann, se garantiu nas semis da categoria C2 1.000m da canoagem.

Ainda na noite desta segunda-feira, os brasileiros voltarão a competir e poderão até participar da final, caso avancem na próxima etapa da competição.

Esporte