PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Cubano Juan Miguel Echevarría lamenta perda do ouro olímpico no salto triplo

02/08/2021 18h53

Tóquio, 2 ago (EFE).- O cubano Juan Miguel Echevarría, vencedor da medalha de prata no salto triplo dos Jogos Olímpicos de Tóquio, admitiu que a sensação de não poder conquistar o ouro é de frustração e que suas lágrimas "são de dor e não com alegria" por não poder ver Cuba no topo do pódio.

O último salto da final do grego Miltiadis Tentoglou, campeão europeu, que saltou 8,41m, igual a Juan Miguel Echevarría, privou o cubano de conquistar a glória olímpica.

O salto da vitória de Tentoglou foi o mesmo que o melhor de Echevarría, mas o grego teve um segundo melhor para o desempate: 8,15 a 8,09.

"A sensação de ver aquele salto de Tentoglou e ver que você não pode fazer nada é horrível. Eu não desejo isso a ninguém. É uma situação muito desconfortável, te deixa em um estado de nervosismo que você não sabe o que fazer e não há capacidade de reagir porque você sabe que não pode resolver o problema", disse Echevarría em entrevista coletiva.

"É muito difícil ver que se perde uma medalha de ouro em um último salto igual ao seu. A prata não é o que eu esperava, mas em todo caso é um prêmio bem-vindo", disse o atleta cubano, frustrado por não ouvir o hino do seu país no Estádio Olímpico de Tóquio.

"Minha vida e minha alma dói porque sonhei muito com a vitória, a tal ponto que já vi Cuba no topo do pódio com meu ouro e a prata de Maykel. Teria sido algo histórico para nosso país, para nossa ilha", concluiu.

Esporte