PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Federação paraguaia inicia vacinação em clubes do futebol sul-americano

07/05/2021 02h45

Assunção, 6 mai (EFE).- A Associação Paraguaia de Futebol começou, nesta quinta-feira, a vacinar integrantes dos clubes da primeira divisão do Campeonato Paraguaio contra a covid-19, usando parte das 50 mil doses da farmacêutica Sinovac administradas pela Conmebol para as federações que a integram.

As doses chegaram ao Paraguai nesta madrugada e o processo de vacinação foi iniciado pela manhã, com integrantes do Sportivo Luqueño, incluindo jogadores, comissão técnica, departamento médico e equipe de logística, no estádio de futebol de areia Los Pynandi, informou a federação em comunicado.

Ainda serão vacinados nesta quinta-feira os plantéis de Cerro Porteño e Guaraní. O presidente da federação paraguaia, RObert Harrison, agradeceu nas redes sociais ao presidente da Conmebol, Alejando Domínguez, por ter dado ao Paraguai a oportunidade de ser o "primeiro país a vacinar o entorno de seu futebol profissional".

Harrison também enalteceu o trabalho do ministro da Saúde paraguaio, Julio Borba, "por ter agilizado os processos de liberação das doses".

As 50 mil doses da vacina da Sinovac serão divididas com as demais federações para imunizar o futebol sul-americano antes da realização da Copa América, será sediada em Argentina e Colômbia a partir do dia 13 de junho.

O presidente da Conmebol lembrou nas redes sociais que, apesar das vacinas, as medidas sanitárias serão mantidas.

"Esta é mais uma barreira que colocamos à covid-19, mas não podemos nos esquecer que (a vacina) não substitui os protocolos sanitários. Se continuarmos unidos, venceremos a pandemia", expressou Domínguez no Twitter.

As vacinas chegaram ao continente sul-americano no final de abril, quando aterrissaram em Montevidéu, após a mediação do governo do presidente Luis Lacalle Pou.

O Ministério da Saúde de cada país que integra a Conmebol será encarregado de levar um registro detalhado dos vacinados, enquanto a entidade fará um acompanhamento do processo e prestará contas posteriormente.

O número limitado de doses praticamente fixa os destinatários e dificulta que possam ser aplicadas a pessoas fora da campanha, segundo a Conmebol.

Esporte