PUBLICIDADE
Topo

Butragueño diz que indústria do futebol "tem que se adaptar" à crise da Covid

07/07/2020 02h55

Madri, 6 jul (EFE).- O diretor de relações institucionais do Real Madrid, Emilio Butragueño, disse que "a indústria do futebol tem que se adaptar à situação atual" da crise mundial devido à pandemia da Covid-19, e por isso as atividades no mercado de transferências "serão diferentes" na próxima janela.

"Estamos em uma situação de incerteza. Esta é uma crise global e vai condicionar o futebol. Não sabemos exatamente o que vai acontecer, mas a situação será diferente neste verão (inverno no hemisfério sul)", disse Butragueño durante participação em uma mesa redonda no fórum WFS Live.

O dirigente disse ainda que "a pandemia acelerou alguns processos em nossa sociedade, e é provável que acelere o processo digital, o que pode permitir que os clubes se aproximem dos torcedores diretamente e implementem relacionamentos através de diferentes plataformas".

"Nossos torcedores são muito fiéis, a lealdade deles pode ser fundamental para construir nosso futuro", explicou.

Butragueño foi um dos participantes da mesa redonda "A história de um clube de futebol através da pandemia da Covid", juntamente com Paul Barber, CEO do Brighton, Luigi de Laurentis, presidente do Bari, e Alex Leitão, CEO do Orlando City.

"Na Espanha, a vida foi paralisada. No clube, entendemos a tremenda escala do impacto e tivemos que nos adaptar à situação. Tentamos reduzir as despesas programadas para o resto da temporada e evitá-las o máximo possível. Foi difícil, mas fomos capazes de fazê-lo", disse Butragueño.

Em sua apresentação, o dirigente e ex-atacante espanhol citou as "três lições aprendidas" durante a crise sanitária: "o que parecia impossível é possível, as coisas podem mudar em uma noite; nossa capacidade de lidar com as dificuldades; temos que estar unidos, quando estamos unidos, ganhamos", afirmou.

Butragueño também lembrou que um clube como o Real Madrid, que completou 100 anos em 2002, teve dificuldades ao longo de sua história e que, quando Florentino Pérez se tornou presidente pela primeira vez, em 2000, "o clube estava em uma situação econômica difícil".

"Ele é um empresário de sucesso e foi capaz de transformar o clube em uma organização moderna e em um clube sólido. A estratégia esportiva e econômica dos últimos 20 anos e sem a liderança de nosso presidente não teria sido possível", comentou.

Esporte