PUBLICIDADE
Topo

Neymar diz que seleção brasileira está mais forte para a Copa de 2022

Neymar comemora durante jogo da seleção brasileira contra Senegal - Roslan RAHMAN / AFP
Neymar comemora durante jogo da seleção brasileira contra Senegal Imagem: Roslan RAHMAN / AFP

05/02/2020 18h44

Redação Central, 5 fev (EFE) — Neymar, que completa 28 anos nesta quarta-feira, concedeu entrevista ao site da Fifa e falou sobre as expectativas que tem com a seleção brasileira, às vésperas do início das Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2022, que será disputada no Catar.

"Estamos muito fortes. O elenco tem mais experiência, apesar da entrada de vários jogadores jovens. Temos jogadores que participaram de duas edições do Mundial, como eu, por exemplo. Vencemos, perdemos, tivemos muitas experiências positivas e negativas, e graças a tudo isso podemos ajudar os mais jovens", afirmou.

"Além disso, a comissão técnica segue a mesma. Essa continuidade facilitará nosso trabalho e nos dará mais chances na Copa. Sou muito otimista com o futuro da seleção", completou o camisa 10 do Paris Saint-Germain.

Embora as Eliminatórias ao redor de quase todo o mundo ainda não tenham iniciado — o Brasil estreia no dia 26 de março, recebendo a Bolívia, na Arena Pernambuco —, Neymar já indicou quem considera as principais adversárias na luta pelo título em 2022.

"França, Bélgica, Inglaterra e Argentina", cravou.

Na entrevista ao site da Fifa, o atacante contou como foi ser cortado da seleção poucos dias antes do início do pontapé inicial da Copa América, que foi disputada no Brasil e conquistada pelos donos da casa no ano passado.

"Doía muito ficar fora da Copa América, por tudo o que tive que passar. Fiz a reabilitação no Brasil e aproveitei a oportunidade para apoiar meus companheiros. Me esqueci que era um jogador e me converti em mais um torcedor, como milhões de brasileiros. Lembrei da minha infância e de quando ia ao estádio com meu pai", disse.

Questionado sobre o desejo de ganhar o prêmio The Best, entregue pela Fifa ao melhor jogador do mundo no ano, Neymar garantiu que os prêmios individuais não estão entre suas prioridades.

"Sempre digo que não é uma obsessão ganhar o The Best. Sem dúvida, cada dia treino com mais afinco para fazer o melhor que no anterior. Sempre tento evoluir individual e coletivamente. Se um dia ganho esse prêmio, será resultado do meu trabalho", afirmou.

Neymar, inclusive, não poupou elogios ao atacante argentino Lionel Messi, antigo companheiro do Barcelona, que foi o mais recente vencedor da disputa de melhor jogador do mundo.

"Jogar com Leo foi uma experiência única. Nós ficamos amigos. De todos os que vi jogar, Messi é o melhor da história", exaltou o atacante brasileiro.

Outro que foi exaltado por Neymar foi o atacante francês Kylian Mbappé, com quem divide vestiário no Paris Saint-Germain, e que foi considerado uma das maiores promessas da atualidade.

"É um fenômeno. Ele reúne o potencial necessário para se converter em um dos melhores jogadores da história. É uma grande honra tê-lo como companheiro de time. Nos entendemos muito bem dentro e fora do campo de jogo. Adoro ele", disse.

Ouça o podcast Posse de Bola, a mesa redonda do UOL sobre futebol, com Arnaldo Ribeiro, Eduardo Tironi, Juca Kfouri e Mauro Cezar Pereira.

Mais podcasts do UOL no Spotify, Apple Podcasts, Google Podcasts e outras plataformas.

Seleção Brasileira