PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Luis Enrique diz que nenhuma seleção da Euro 2020 é superior à Espanha

Luis Enrique, treinador da seleção espanhola  - JOSE JORDAN / AFP
Luis Enrique, treinador da seleção espanhola Imagem: JOSE JORDAN / AFP

Em Madri

26/12/2019 09h40

O técnico da Espanha, Luis Enrique, afirmou hoje que não vê nenhuma seleção melhor que a espanhola para a Eurocopa de 2020, e anunciou que fará ajustes na equipe até o início do torneio.

"Não vejo nenhuma acima, principalmente se olhar para a classificação. Sim, temos que considerar a França a favorita, pois ganhou a Copa do Mundo, mas ela não é superior às outras cinco ou seis seleções que eu considero, além de alguma outra, favoritas como nós", comentou.

No entanto, Luis Enrique adiantou que realizará algumas mudanças. Segundo o treinador, a equipe está "num período de formação, de crescimento, e tentando criar novas esperanças".

"Farei mudanças, não muitas porque as pessoas que estiveram aqui antes são as minhas pessoas, as pessoas com quem trabalhei, e seguimos padrões semelhantes, mas é claro que o treinador precisa implementar a sua ideia, os conceitos que teremos que seguir e quais jogadores teremos que convocar", analisou.

"Nem todos temos a mesma prioridade quando se trata de escolher as características dos jogadores. Haverá mudanças em relação a isso", disse em declarações divulgadas pela Federação Espanhola de Futebol (RFEF).

Na opinião do técnico, os próximos amistosos contra Alemanha e Holanda serão "muito atraentes" e virão "muito bem para ver o nível competitivo dos jogadores".

"É importante que você seja um jogador que sempre vem à seleção, mas também que chegue em um bom momento nessa reta final. A competição é muito curta, são quatro semanas, sete jogos para aqueles que têm a oportunidade de chegar à final, e é importante que os jogadores cheguem em boas condições", enfatizou.

O sorteio da Eurocopa colocou Espanha, Suécia e Polônia no mesmo grupo, que também contará com o vencedor da repescagem a ser disputada por Bósnia, Irlanda do Norte, Irlanda e Eslováquia.

"Não vamos nos esconder, mas eu também não vou descobrir a América. Gostamos de ser um dos favoritos, mesmo que nos últimos torneios não tenhamos feito nada ou tenhamos sido eliminados cedo. Todos nos colocam como favoritos, e aceitamos esse papel. Vai ser complicado, esperamos poder confirmar esse favoritismo com resultados", argumentou.

Ouça o podcast Posse de Bola, a mesa redonda do UOL sobre futebol, com Arnaldo Ribeiro, Eduardo Tironi, Juca Kfouri e Mauro Cezar Pereira.

Mais podcasts do UOL no Spotify, Apple Podcasts, Google Podcasts e outras plataformas

Futebol