Topo

Esporte


River perde para Boca, mas segura vantagem e volta à final da Libertadores

22/10/2019 23h47

Buenos Aires, 23 out (EFE).- Na revanche da última final da Taça Libertadores, o River Plate levou mais uma vez a melhor sobre o Boca Juniors, apesar da derrota por 1 a 0 para o maior rival nesta terça-feira, em La Bombonera, e buscará o bicampeonato consecutivo do torneio na decisão que será disputada daqui um mês no Chile.

Depois de vencer o jogo de ida por 2 a 0, no Monumental de Núñez, os atuais campeões da Libertadores souberam administrar a pressão do adversário, especialmente durante o primeiro tempo, e confirmaram presença na terceira final do torneio em quatro anos. Além do título sobre o próprio Boca no ano passado, o River levantou o principal troféu continental em 2015.

O único gol do jogo saiu aos 34 minutos do segundo tempo. Nervoso com a vantagem do adversário, o Boca passou toda a etapa final insistindo nas bolas aéreas. De tanto tentar, um dos cruzamentos deu resultado. Mac Allister botou na área, a bola sobrou para Zárate, que furou. Hurtado, ligado no lance, foi mais rápido que os defensores e tocou para o gol.

Perto do fim, os papéis se inverteram. Zárate cobrou falta na área. Lisandro López ganhou dos zagueiros do River e tocou com firmeza no canto, mas Franco Armani apareceu e garantiu a vaga.

Agora, o River aguarda o adversário da final, que sai amanhã do duelo entre Flamengo e Grêmio, no Maracanã. Os dois times brasileiros empataram no jogo de ida por 1 a 1. O Rubro-Negro leva a vantagem de poder empatar sem gols para ficar com a vaga.

Pior tecnicamente que o principal rival, o Boca entrou no campo de La Bombonera apostando na raça de seus jogadores e no apoio da torcida para tentar reverter a desvantagem do jogo de ida.

Valentes, os donos da casa foram melhores na etapa inicial, ameaçaram o gol defendido por Armani em pelo menos três oportunidades e conseguiram controlar o River, que praticamente só chegou uma vez, pouco antes do intervalo.

A primeira chance do Boca veio aos 8 minutos. Depois de falta cobrada na área, o rebote sobrou para Ábila, que bateu de perna esquerda e acertou o lado de fora da rede do gol do River.

Aos 21, em nova bola levantada na área, Almendra subiu junto com Mas, e a bola bateu na mão do lateral-esquerdo do Boca. A sobra caiu nos pés de Salvio, que fuzilou e superou Armani. O lance, porém, foi anulado pelo árbitro brasileiro Wilton Pereira Sampaio, que percebeu o toque irregular sem consultar o VAR.

O River respondeu aos 41 minutos. Palacios recebeu na área e rolou para Suárez, sem goleiro. O atacante chutou, mas a zaga do Boca afastou em cima da linha. A jogada, porém, não seria validada, já que Palacios estava em impedimento no início do lance.

Três minutos depois, Enzo Pérez quase favorece o Boca. Após escanteio cobrado na área, Almendra cabeceou de raspão. Ao tentar cortar, o volante do River quase enganou Armani, que foi obrigado a fazer bela defesa para afastar o perigo e evitar o gol contra.

A pressão do Boca permaneceu no segundo tempo, mas faltava qualidade aos jogadores comandados por Gustavo Alfaro. Aos 15, o técnico fez duas substituições para tentar mudar a cara do jogo. Sacou Ábila, para a entrada de Hurtado, e Almendra, que deu lugar ao atacante Zárate.

De tanto insistir, o Boca acabou abrindo o placar aos 34 minutos. Em nova cobrança de falta na área, Zárate teve a chance de completar para o gol vazio após desvio pelo meio. O atacante, porém, passou a linha da bola. Para a sorte dos 'xeneizes', Hurtado vinha logo atrás e tocou para o fundo da rede.

O gol incendiou os dez minutos finais do superclássico. Aos 42, Zárate levantou mais uma bola na área na direção de Más, que conseguiu cabecear com perigo, mas a bola passou à direita do gol do River.

Já nos acréscimos, em outra cobrança de falta, Zárate botou na cabeça de Lisandro López, que ganhou dos zagueiros e cabeceou no canto. Armani apareceu e garantiu a vaga para o River.

Ficha Técnica:

Boca Juniors: Andrada; Buffarini, López, Izquierdoz e Más; Almendra (Zárate), Marcone, Salvio e Mac Allister (Villa); Tévez e Ábila (Hurtado). Técnico: Gustavo Alfaro.

River Plate: Armani; Montiel, Martínez, Pinola e Casco (Díaz); Pérez, Palacios, Fernández e De La Cruz; Borré (Pratto) e Suárez (Scocco). Técnico: Marcelo Gallardo.

Árbitro: Wilton Pereira Sampaio (Brasil), auxiliado por Fabricio Vilarinho e Rodrigo Correa.

Cartões amarelos: Mac Allister, Marcone e Tévez (Boca Juniors); Martínez, Díaz, Pérez e Scocco.

Gols: Hurtado (Boca Juniors).

Estádio: La Bombonera, em Buenos Aires (Argentina). EFE

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{user.alternativeText}}
Avaliar:

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Esporte