PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Athletico-PR goleia Wilstermann, quebra jejum em casa e é 2º no grupo G

14/03/2019 22h53

Curitiba, 14 mar (EFE).- O Athletico Paranaense não teve dificuldades nesta quinta-feira para golear o Jorge Wilstermann, da Bolívia, por 4 a 0, em jogo disputado na Arena da Baixada, que rendeu salto para a segunda colocação do grupo G da Taça Libertadores.

No primeiro tempo, o Furacão utilizou tempero argentino para pular na frente, com gols do atacante Marco Ruben, aos 32, e do meia Tomás Andrade, quatro minutos depois. Na etapa complementar, aos 5, foi a vez do lateral-esquerdo Renan Lodi balançar a rede, e do volante Bruno Guimarães fechar a conta, aos 43.

Com a vitória, o time de Curitiba encerrou uma série de três jogos tropeçando em casa contra equipes estrangeiras na Libertadores. Após bater o Millonarios, no dia 1º de fevereiro de 2017, segunda fase preliminar, o Athletico empatou com Deportivo Capiatá e Universidad Católica, e perdeu para o San Lorenzo.

Com o encerramento da segunda rodada do grupo G, o Furacão está na segunda posição, com três pontos e saldo de gols positivo de três, ultrapassando assim o Tolima, que o derrotou na primeira rodada. O líder da chave é o Boca Juniors, com quatro pontos, enquanto o Wilstermann tem um.

Na terceira rodada da chave, o atual campeão da Copa Sul-Americana receberá os 'Xeneizes', em jogo marcado para acontecer no dia 2 de abril.

Na busca pela primeira vitória, Tiago Nunes repetiu quase toda a escalação da estreia, apenas com a entrada de Jonathan, recém-recuperado de lesão, no lugar de Madson, que se lesionou na partida da semana passada. Outro que foi liberado pelo departamento médico, o meia argentino Lucho González, ficou no banco.

O Jorge Wilstermann, por sua vez, entrou em campo com três brasileiros, o zagueiro Alex Silva, ex-São Paulo, o atacante Lucas Gaúcho, também com passagem pelo clube da capital paulista, e o meia Serginho, que vestiu as camisas de Brasiliense, Portuguesa, entre outros.

Logo nos primeiros instantes, um susto no Furacão, quando Jonathan sinalizou recaída do problema muscular. O experiente defensor, no entanto, se recuperou rapidamente e seguiu no jogo. Aos 5 minutos, foi o Wilstermann que se surpreendeu, com chute de longa distância de Bruno Guimarães, defendido por Ginénez.

Aos 15, Renan Lodi foi acionado na área, ajeitou e bateu firme, obrigando o goleiro paraguaio do time adversário a fazer grande defesa. A blitz seguiu intensa e, aos 25, Nikão fuzilou e parou em mais uma defesa do camisa 13 da do time boliviano. Cinco minutos depois, Marco Ruben tentou de cabeça e ficou perto de acertar o gol.

A insistência foi premiada aos 32 da etapa inicial, em boa chegada de Rony, um dos destaques da partida até então. O atacante bateu da entrada da área, em bola que desviou no principal reforço do Furacão na temporada e morreu no fundo da rede do Wilstermann. A arbitragem apontou que o argentino foi o autor do gol.

Os visitantes responderam e, aos 36, Serginho soltou uma bomba e acertou a trave esquerda de Santos. Na mesma jogada, o Athletico partiu no contra-ataque em alta velocidade. Tomás Andrade recebeu na intermediária ofensiva, disparou e bateu firme, contando com falha de Giménez para ampliar.

O adversário se mostrou desnorteado com os dois gols e se tornou presa muito fácil, tanto é que, aos 44, quase que o terceiro do Athletico sai a partir do fogo amigo. Marco Ruben fez cruzamento da esquerda, a bola desviou em Zenteno e só não entrou porque Giménez estava atento.

O segundo tempo começou com o time paranaense mantendo o ritmo alucinante da reta final do primeiro. Logo aos 5, em contra-ataque rápido, Camacho serviu Renan Lodi, que invadiu a área pela esquerda e bateu cruzado, sem dar chances ao goleiro paraguaio do Wilstermann.

A confortável vantagem, obtida permitiu que o Furacão diminuísse o ritmo, de certa forma, se poupando, tanto é que as chances de gol foram diminuindo. Aos 28, Marcelo Cirino, que havia entrado um pouco antes, fez belo lançamento para Lodi, que cruzou na medida para Tomás Andrade. O argentino, contudo, isolou na conclusão.

Sem precisar se esforçar muito, os donos da casa seguiram tentando ampliar o marcador e aumentar o saldo de gols. Aos 36, Nikão arriscou de longe e obrigou Giménez a fazer grande defesa. No minuto seguinte, Santos apareceu pela primeira vez no jogo, pegando chute à queima-roupa de Serginho.

A goleada ficou desanhada aos 43, em bela trama ofensiva do Athletico, que teve Braian Romero recebendo no lado direito do ataque e cruzando para Marcelo Cirino, que ajeitou com muita categoria para Bruno Guimarães bater firme e fazer o quarto.

Ficha técnica:.

Atlético Paranaense: Santos; Jonathan (Wellington), Thiago Heleno, Léo Pereira e Renan Lodi; Camacho, Bruno Guimarães e Tomás Andrade, Nikão; Rony (Marcelo Cirino) e Marco Ruben (Braian Romero). Técnico: Tiago Nunes.

Jorge Wilstermann: Arnaldo Giménez; Meleán, Alex Silva, Zenteno e Aponte; Saucedo (Villarroel), Ortiz, Núñez (Melgar), Chávez e Serginho; Lucas Gaúcho (Álvarez). Técnico: Miguel Ángel Portugal.

Árbitro: Carlos Orbe (Equador), auxiliado pelos compatriotas Christian Lescano e Ricardo Baren.

Gols: Marco Ruben, Tomás Andrade, Renan Lodi e Bruno Guimarães (Athletico Paranaense).

Cartões amarelos: Rony (Athletico Paranaense); Serginho, Alex Silva, Aponte e Meleán (Jorge Wilstermann).

Estádio: Arena da Baixada, em Curitiba. EFE

Esporte