PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Galo perde para o Nacional e continua sem pontuar no grupo E da Libertadores

12/03/2019 23h33

Montevidéu, 12 mar (EFE).- A fase de grupos ainda não chegou à metade, mas o Atlético-MG já passou a ver sua situação na Taça Libertadores complicada depois de ter pertido para o Nacional-URU por 1 a 0 nesta terça-feira no estádio Gran Parque Central, em Montevidéu.

Em jogo pouco empolgante, o tricampeão continental demonstrou mais organização e recursos que o time brasileiro e venceu graças ao gol marcado por Bergessio no segundo tempo.

Foi a segunda derrota em duas partidas no grupo E para o Galo, que na semana passada foi surpreendido pelo Cerro Porteño no Mineirão. De quebra, a equipe dirigida por Levir Culpi perdeu a invencibilidade no Uruguai nesta edição do torneio continental - na fase preliminar, havia empatada com o Danubio em 2 a 2 e batido o Defensor por 2 a 0.

Com os resultados até agora, o Atlético segura a lanterna da chave, sem ponto algum, assim como o Zamora, que nesta quarta-feira medirá forças com o Cerro no Paraguai. O Nacional lidera, com seis pontos, três a mais que o representante paraguaio.

Na busca pelos primeiros pontos, o campeão da América em 2013 voltará a campo pela Libertadores no dia 3 de abril, quando terá o campeão venezuelano pela frente.

Suspenso contra o Cerro, o volante José Welison voltou ao time titular, mas não em lugar de Jair, que o substituiu no Independência na semana passada, e sim na vaga de Adilson. No Nacional, Gabriel Neves entrou na vaga de Sant'Anna no meio

O Galo teve a chance de surpreender o adversário logo aos dois minutos do primeiro tempo, em desarme na intermediária de ataque, mas Luan arriscou de longe e foi travado. Mais tarde, aos 15, o Menino Maluquinho emendou uma bicicleta, mas errou o alvo.

A equipe mineira tinha mais a bola, mas encontrava dificuldade para finalizar. Aos 23, Ricardo Oliveira fez o giro e, muito marcado, passou para Patric, que cabeceou para fora. Um minuto depois, Cazares fez o desarme, bateu por cobertura e cedeu tiro de meta.

O Tricolor uruguaio enfim deu trabalho aos 31, com Carballo, que foi acionado nas costas de Fábio Santos e chutou de primeira para fora. Na resposta do campeão continental de 2013, aos 34, José Welison chutou de muito longe e carimbou a trave, na melhor chance do primeiro tempo. Pouco depois, aos 37, Cazares arrematou com veneno buscando o ângulo, mas novamente mandou pela linha de fundo.

Tentando se soltar na segunda etapa, o Nacional teve boa jogada com Castro, aos sete minutos. O atacante driblou Patric, entrou na área e cruzou por baixo à procura de Rodríguez, mas a defesa fez o corte.

A partida era amarrada, e as finalizações ficaram mais raras. Aos 20 minutos, Ricardo Oliveira progrediu pelo meio e sofreu falta. O próprio centroavante cobrou, mas acertou Luan e viu a bola sair em tiro de meta. No troco dos donos da casa, aos 24, Viña levantou, Zunino surgiu como elemento surpresa e cabeceou para fora.

Mais organizado, o Nacional foi premiado e abriu o placar aos 26 minutos. Viña fez mais um cruzamento pela esquerda, Bergessio ganhou de Igor Cabello, que sequer conseguiu sair do chão, e cabeceou para a rede.

Logo após o gol, Levir Culpi mexeu no Atlético, colocando Guga e Chará nos lugares de Patric e Jair. No desespero, a equipe mineira até criava, mas falhava no arremate, como aos 31, quando Ricardo Oliveira recebeu um presente de García e invadiu a área, mas, sem ângulo, mandou pela linha de fundo.

A cartada derradeira de Levir foi substituir um volante por um atacante: Alerrandro entrou para a saída de José Welison. Mas quem esperou um abafa final do Galo se frustrou, porque os visitantes pouco incomodaram o goleiro Conde. Uma última oportunidade surgiu aos 46, em escanteio pela esquerda, mas, mesmo com todo mundo na área, Cazares cobrou curto e Fábio Santos foi bloqueado.

Ficha técnica:.

Nacional-URU: Conde; Zunino, Angeleri, García e Viña; Carballo, Arzura e Gabriel Neves; Rodríguez (Felipe Carvalho), Castro (Ramírez) e Bergessio (Fernández). Técnico: Eduardo Domínguez.

Atlético-MG: Victor; Patric (Guga), Réver, Igor Rabello e Fábio Santos; Jair (Chará), José Welison (Alerrandro), Elias e Cazares; Luan e Ricardo Oliveira. Técnico: Levi Culpi.

Árbitro: Roberto Tobar (Chile), auxiliado pelos compatriotas Christian Schiemann e Alejandro Molina.

Cartões amarelos: Viña e Angeleri (Nacional); Igor Rabello, José Welison e Ricardo Oliveira (Atlético-MG).

Gol: Bergessio (Nacional).

Estádio: Grande Parque Central, em Montevidéu. EFE

Esporte