PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Zidane diz que não poderia recusar volta ao Real: "Realmente amo este clube"

11/03/2019 20h05

Madri, 11 mar (EFE).- O francês Zinedine Zidane declarou amor ao Real Madrid ao ser apresentado como novo treinador do clube nesta segunda-feira, menos de um ano após ter se despedido da entidade com uma passagem recheada de títulos, e anunciou que fará mudanças para tentar evitar que a turbulência vivida na atual temporada se repita.

"Se o presidente me chama, não posso recusar. Ele sabe que treinadores e jogadores quando ganham muito podem ter uma queda. Aconteceu neste ano. Vi de fora, mas me sentia dentro. Não estou contente de como foram as coisas, mas no ano passado aconteceu o mesmo comigo como treinador. Estou aqui porque realmente amo este clube", afirmou em evento no estádio Santiago Bernabéu.

Acompanhado da esposa, Véronique, o treinador disse que notou um desgaste em seu trabalho após três temporadas vitoriosas, motivo pelo qual decidiu interromper o trabalho no ano passado.

"Saí do clube porque precisava. Era bom para mim e para o Real Madrid. O elenco necessitava uma mudança depois de ganhar tudo e tinha que mudar nesse momento. Agora tomo a decisão de voltar porque o presidente me chamou. O mais importante é que tenho vontade de voltar a treinar. Tomei a minha decisão pelo bem de todos", comentou.

No entanto, Zidane afirmou que talvez não se sentisse tão preparado para retornar ao cargo caso tivesse sido chamado meses atrás, tanto que admitiu ter recusado diversas propostas de outros clubes.

"Nunca fui dessa maneira e o meu coração diz que descansei durante estes meses. Talvez há quatro meses não tivesse sido assim, mas atualmente tenho vontade. É uma oportunidade muito boa para voltar", analisou.

Focado na reconstrução do Real Madrid, que encerrará a atual temporada sem conquistar nenhum título, o francês já elabora um novo projeto, mas destacou que é importante fazer um bom trabalho até o início da nova etapa.

"Vamos mudar coisas. Temos que mudar para a próxima temporada, mas não se trata disso agora. Voltei e temos tempo para falar com o presidente o que se pode fazer. Hoje em dia o foco é que faltam 11 partidas (do Campeonato Espanhol) e queremos terminar bem", disse o francês.

Zidane também demonstrou respeito pelos trabalhos desempenhados por Julen Lopetegui e Santiago Solari, técnicos que comandaram a equipe desde que ele optou por encerrar a primeira passagem como treinador no clube.

"Não vou culpar ninguém. Os dois queriam fazer o melhor possível pela equipe. É preciso olhar para a frente. Não me esqueço do que ganhamos, mas também não me esqueço do que fiz de ruim. Tenho ambição e sinto a esperança de voltar a treinar o melhor clube do mundo. Vou dar tudo o que tenho para que a equipe melhore", afirmou. EFE

Esporte