PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Liberado pelo Santos, Bryan Ruiz espera render com a seleção de Costa Rica

11/03/2019 21h01

San José, 11 mar (EFE).- Fora dos planos do técnico do Santos, Jorge Sampaoli, o meia-atacante Bryan Ruiz tem aproveitado o "tempo livre" para manter a forma física apesar da ausência de jogos e espera seguir contribuindo com a seleção de Costa Rica.

"Não é o que ninguém quer, mas é parte do futebol. Ser convocado pela seleção sempre é uma alegria, agora quero render. Estou há três meses sem jogar, mas treino bem com o grupo do Santos", afirmou.

Capitão da Costa Rica, Ruiz pediu para sair do Santos no início da temporada. O clube topou liberá-lo, mas o meia segue no time porque nenhuma proposta agradou as partes.

Na entrevista coletiva concedida hoje, Ruiz agradeceu ao clube brasileiro pelo tratamento dado ao caso e disse estar disponível para jogar pelo 'Peixe' caso Sampaoli precise.

Ruiz chegou aos Santos depois da Copa do Mundo de 2018 e, após meses de pouca regularidade no time titular, chegou a um acordo no clube para se transferir. Desde então, o clube paulista contratou outros estrangeiro, ocupando as vagas que poderiam ser do meia.

O jogador costa-riquenho não quis entrar em detalhes sobre as razões que o levaram a pedir para sair do Santos, mas desmentiu notícias que apontavam uma lesão nas costas como motivo.

"Estou 100% treinando com o grupo. Todos esperávamos que fosse diferente, mas não ocorreu e faz parte do futebol", afirmou.

Com autorização do Santos, Ruiz se apresentou antecipadamente à seleção da Costa Rica para participar dos amistosos contra a Guatemala, em 22 de março, e a Jamaica, no dia 26.

O técnico da Costa Rica, o uruguaio Gustavo Matosas, revelará nos próximos dias a lista de convocados da Costa Rica para as partidas de março.

"Estou muito empolgado, treinando ao máximo, me sinto bastante bem. O professor Matosas tem muita experiência e sabe conduzir essas situações", disse Ruiz.

O capitão da Costa Rica afirmou que a seleção mantém a meta de lutar para vencer a Copa Ouro em junho. EFE

Esporte