PUBLICIDADE
Topo

Esporte

United marca de pênalti nos acréscimos, avança e impõe novo "trauma" ao PSG

06/03/2019 19h12

Paris, 6 mar (EFE).- O Manchester United conquistou uma vaga nas quartas de final da Liga dos Campeões de forma dramática nesta quarta-feira ao vencer o Paris Saint-Germain por 3 a 1 em pleno estádio Parc des Princes, graças a um gol de pênalti marcado por Rashford aos 48 minutos do segundo tempo.

Derrotados em casa por 2 a 0 na ida, em Manchester, há três semanas, os 'Diabos Vermelhos' colocaram fogo na eliminatória ao abrir o placar logo aos dois minutos de partida em Paris, com Lukaku. Bernat empatou pouco depois, mas o próprio belga fez o segundo ainda na etapa inicial, e Rashford, em penalidade assinalada com a ajuda do árbitro de vídeo, classificou o tricampeão da Champions.

Em uma temporada que parecia perdida, mas mudou com a saída do técnico José Mourinho e a chegada de Ole Gunnar Solskjaer, o United já é quarto colocado no Campeonato Inglês e volta a ser um dos oito melhores da Europa, o que não acontecia desde a temporada 2013-2014, em que caiu justamente nas quartas diante do Bayern de Munique. Na expectativa de ir mais longe, aguarda a definição dos outros quadrifinalistas e o sorteio do próximo dia 15, em Nyon (Suíça).

O gol de Rashford remete ao feito pelo agora técnico do time inglês quase 20 anos atrás. Solkjaer balançou a rede exatamente aos 48 do segundo tempo na final contra o Bayern em 1999, proporcionou a vitória por 2 a 1 de virada no Camp Nou e garantiu o segundo título do clube na Liga dos Campeões.

O PSG, desfalcado de Neymar, caiu nas oitavas pela terceira vez seguida. O atual campeão francês vinha de duas duras eliminações: a de 2017, quando foi goleado pelo Barcelona por 6 a 1 após ter feito 4 a 0 em casa; e a de 2018, ano em que perdeu os dois jogos para o Real Madrid.

Neymar continua se recuperando de uma lesão no quinto metatarso do pé direito, a mesma lesão que comprometeu sua preparação para a última Copa do Mundo e o deixou de fora do jogo em Manchester, e assistiu à partida em um camarote no Parc des Princes, após ter chegado do Brasil, onde fez parte do trabalho de recuperação e curtiu o Carnaval.

Os outros brasileiros do elenco, Thiago Silva, Marquinhos, que atuou como volante, e Daniel Alves, hoje meio-campista, foram titulares. O uruguaio Cavani, que também vinha sendo baixa, voltou após um problema muscular na coxa direita, ficou no banco e entrou apenas nos instantes finais.

Desfalcado do meia Pogba, o United apostou em uma formação mais defensiva, num 5-3-2, e renovada. Com isso, os dois brasileiros do elenco, os meias Fred e Andreas Pereira, começaram jogando.

Os 'Diabos Vermelhos' colocaram fogo na eliminatória logo aos dois minutos de partida em Paris. Kehrer vacilou feio no recuo e deu um presente para Lukaku, que driblou Buffon e tocou para o gol vazio para fazer 1 a 0.

O empate poderia ter acontecido aos seis minutos, em cruzamento rasteiro de Di María, mas Mbappé não alcançou por centímetros. Porém, aos 12, Daniel Alves fez ótimo passe na direita da área para o próprio Mbappé, que girou e tocou para Bernat concluir e deixar tudo igual.

Após o gol, o PSG foi para cima, tentando espantar qualquer possibilidade de reação dos visitantes. Aos 19, Bernat concluiu com perigo novamente, mas desta vez o goleiro De Gea fez a defesa. Um minuto depois, Di María soltou a bomba de fora da área e mandou perigosamente à esquerda do alvo.

O momento parecia favorável ao atual campeão francês, mas foram os tricampeões continentais quem voltaram à rede. Aos 30 minutos, Rashford bateu de longe, Buffon falhou e deu nos pés de Lukaku, que não vacilou e fez mais um.

Ainda antes do intervalo, Solskjaer sacou um dos três zagueiros, Baily, e mandou o lateral-direito Dalot a campo. Logo em sua primeira participação, aos 41, o camisa 20 tentou o passe para trás, a bola desviou e quase traiu o arqueiro italiano, mas saiu.

Na volta do intervalo, aos dez minutos do segundo tempo, o PSG marcou um lindo gol, que, contudo, foi bem anulado. Mbappé tocou de calcanhar e Di María encobriu o goleiro, mas o argentino estava impedido.

Sem desistir e mantendo a bola no ataque para não correr risco, a equipe de Thomas Tuchel incomodou de novo aos 14. Di María chutou da entrada da área e De Gea encaixou. O argentino quase marcou aos 26, depois de tabela entre Daniel Alves e Mbappé, que cruzou por baixo, mas Lindelöf cortou na hora H.

A equipe francesa tinha o controle da eliminatória e da partida, mas perdeu uma oportunidade de "matar" o confronto aos 38 minutos. Mbappé saiu livre à frente de De Gea, mas se desequilibrou, e o arqueiro espanhol defendeu. No rebote, Bernat acertou a trave.

O castigo veio nos acréscimos, com requintes de crueldade. Aos 45, Dalot chutou de perto da meia-lua, e a bola bateu no braço de Kimpembe. Após três minutos de tensão, com análise do lance pelo VAR, foi marcado pênalti para o United. Rashford cobrou, converteu e classificou os visitantes.

Ficha técnica:.

Paris Saint-Germain: Buffon; Kehrer (Paredes), Thiago Silva, Kimpembe e Bernat; Marquinhos, Verratti, Daniel Alves (Cavani), Draxler (Meunier) e Di María; Mbappé. Técnico: Thomas Tuchel.

Manchester United: De Gea; Young (Greenwood), Smalling, Bailly (Dalot), Lindelöf e Shaw; McTominay, Fred e Andreas Pereira (Chong); Rashford e Lukaku. Técnico: Ole Gunnar e Solskjaer.

Árbitro: Damir Skomina (Eslovênia), auxiliado pelos compatriotas Jure Praprotnik e Robert Vukan.

Cartões amarelos: Di María e Paredes (Paris Saint-Germain); Shaw (Manchester United).

Gols: Bernat (Paris Saint-Germain); Lukaku (2x) e Rashford (Manchester United).

Estádio: Parc des Princes, em Paris. EFE

Esporte