PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Alex Telles marca de pênalti na prorrogação e classifica Porto contra Roma

06/03/2019 19h45

Porto (Portugal), 6 mar (EFE).- Com um gol de pênalti marcado pelo lateral-esquerdo Alex Telles na prorrogação, o Porto venceu a Roma por 3 a 1 nesta quarta-feira, no Estádio do Dragão, e se classificou para as quartas de final da Liga dos Campeões, fase à qual não chegava desde 2015.

Derrotado por 2 a 1 na Itália há três semanas, o bicampeão europeu devolveu o placar graças a Tiquinho Soares e Marega, que balançaram a rede uma vez cada no tempo normal, e De Rossi, também em penalidade, fez para os 'Giallorossi'.

No segundo tempo da prorrogação, aos 11 minutos, o árbitro turco Cüneyt Çakir contou com a ajuda do VAR, reviu o lance no monitor à beira do gramado e marcou puxão de Florenzi em Fernando dentro da área. Alex Telles converteu a cobrança de pênalti e classificou os 'Dragões', que esperam o sorteio do próximo dia 15 para conhecer o próximo adversário.

A última vez que o atual campeão português esteve entre os oito melhores da Champions foi há quatro temporadas. Na ocasião, até fez 3 a 1 sobre o Bayern de Munique em casa, mas foi goleado por 6 a 1 na Alemanha.

A principal novidade no Porto foi o retorno de Éder Militão, preterido pelo técnico Sergio Conceição nas três partidas anteriores, supostamente por indisciplina. Convocado como zagueiro para os amistosos da seleção brasileira do fim deste mês, o ex-jogador do São Paulo voltou a atuar como lateral-direito, com Pepe e Felipe no miolo da defesa.

Além de Militão, Pepe (naturalizado português) e Felipe, o bicampeão continental teve outros três brasileiros entre os titulares, Alex Telles, o meia Otávio e Tiquinho Soares. O também atacante Fernando, contratado em janeiro junto ao Santa Clara, entrou no decorrer do duelo.

Na Roma, semifinalista na última campanha na Liga dos Campeões, Eusebio Di Francesco apostou num 3-5-2, com um trio de zaga formado por Marcano, Manolas e Juan Jesus, o único atleta nascido no Brasil relacionado pelos 'Giallorossi', que têm ainda o jovem goleiro Daniel Fuzato.

O Porto esboçou uma pressão inicial e esteve perto de abrir o placar aos dois minutos de bola rolando, com Corona, que pegou a sobra após o escanteio e chutou por cima. Em seguida, aos nove, o mexicano tentou de novo e parou na defesa, Alex Telles recolheu e bateu à direita do alvo.

A Roma incomodou pela primeira vez aos 18, também depois de um chuveirinho. Manolas ficou com a bola e tinha certo espaço, mas demorou a definir e permitiu o corte pela linha de fundo.

Em uma bobeira do sistema defensivo dos visitantes, aos 25 minutos, o Porto fez 1 a 0. Marega fez o desarme pela esquerda, tabelou nas costas de Karsdorp e cruzou rasteiro para Tiquinho Soares fazer 1 a 0.

O empate aconteceu aos 35, quando Perotti invadiu a área e foi parado com falta por Militão. De Rossi cobrou com categoria no canto direito, deslocando Casillas, e deixou tudo igual.

O primeiro tempo terminou com pressão do atual campeão português, que, no entanto, não conseguiu concluir com tanto perigo. Aos 44, Tiquinho bateu, a zaga bloqueou, e Herrera finalizou colocado na segunda tentativa, mas o goleiro Olsen espalmou para fora.

O ímpeto ofensivo da equipe anfitriã não esfriou na volta do intervalo, e a Roma continuou pressionada. Aos três minutos, Tiquinho Soares deu um peixinho, a bola bateu no chão e saiu. Na sequência, aos cinco, o atacante brasileiro passou para Marega, que parou na defesa de Olsen.

Até que aos sete minutos o Porto teve seu esforço recompensado e desempatou. Corona fez mais uma boa jogada pela direita e cruzou para Marega, que desviou de pé direito na pequena área, tirou do goleiro sueco e fez 2 a 1.

Depois disso, o jogo esfriou, e um novo lance de perigo aconteceu apenas aos 20, novamente a favor dos donos da casa. Alex Telles cobrou escanteio, Felipe cabeceou para baixo, a bola novamente beijou o gramado, subiu e saiu.

Com o passar do tempo, as equipes arriscavam menos, e as chances de evitar a prorrogação foram reduzidas. Cada time teve uma oportunidade mais clara, mas nenhum aproveitou. Aos 31, Brahimi, que substituíra Corona, recebeu de Otávio e bateu de primeira, mas Olsen pegou. Aos 36, em um tremendo vacilo de Pepe, Pellegrini ficou na cara do gol, mas concluiu em tiro de meta.

O primeiro tempo da prorrogação foi frio, mas o segundo esquentou com duas tentativas seguidas de Dzeko. Aos cinco minutos, o bósnio cortou a marcação e chutou por cima. Aos seis, encobriu Casillas, mas Pepe evitou o que teria sido o empate.

Até que aos 11 minutos Fernando invadiu a área e foi puxado por Florenzi. O árbitro marcou o pênalti após consultar o VAR e rever o lance, Alex Telles cobrou no canto direito, tirando de Olsen, que foi para o esquerdo, e classificou os 'Dragões'.

Ficha técnica:.

Porto: Casillas; Éder Militão (Maxi Pereira), Felipe, Pepe e Alex Telles; Danilo Pereira, Herrera, Corona (Brahimi) e Otávio (Hernâni); Marega e Tiquinho Soares (Fernando). Técnico: Sergio Conceição.

Roma: Olsen; Marcano (Cristante), Manolas e Juan Jesus; N'Zonzi, De Rossi (Pellegrini) (Schick), Karsdorp (Florenzi), Zaniolo e Kolarov; Perotti e Dzeko. Técnico: Eusebio Di Francesco.

Árbitro: Cüneyt Çakir, auxiliado pelos compatriotas Bahattin Duran e Tarik Ongun.

Cartões amarelos: Herrera, Danilo Pereira, Pepe e Alex Telles (Porto); Zaniolo, Dzeko, Pellegrini e Karsdorp (Roma).

Gols: Tiquinho Soares, Marega e Alex Telles (Porto); De Rossi (Roma).

Estádio do Dragão, no Porto (Portugal). EFE

Esporte