PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Modric critica atacantes do Real e diz que time não supriu ausência de CR7

Luka Modric é marcado por jogadores do Levante  -  JOSE JORDAN / AFP
Luka Modric é marcado por jogadores do Levante Imagem: JOSE JORDAN / AFP

04/03/2019 14h40Atualizada em 05/03/2019 09h19

O meio-campista Luka Modric, vencedor dos prêmios The Best e Bola de Ouro do ano passado, além de ter sido eleito o melhor jogador da última Copa do Mundo, fez duras críticas aos atacantes do Real Madrid por não estarem conseguindo suprir a saída de Cristiano Ronaldo para a Juventus, ocorrida em agosto do ano passado.

"A ausência de Cristiano seria notada em qualquer equipe. Buscar um substituto é quase impossível, e isso é notório. O que o clube tentava quando ele saiu é que outros jogadores cobrissem a sua função, que o gol fosse dividido entre os jogadores da frente, e não é fácil fazer isso porque ele fazia 50 gols e não há como encontrar alguém que marque tanto assim", analisou o atual melhor do mundo em entrevista coletiva.

Na temporada passada, Cristiano marcou 44 gols pelo Real. Na atual campanha, o artilheiro do time é Karim Benzema, com 20, com Gareth Bale (13) em segundo lugar e Sergio Ramos (11) em terceiro.

"Talvez alguns devessem ter dado um passo à frente. Não precisava marcar 50, mas dois ou três jogadores deveriam fazer ao menos 20. Não temos isso, e esse é o nosso maior problema. Por exemplo, no jogo pela Copa do Rei contra o Barcelona, tivemos muitas chances, mas quando elas não são aproveitadas, um adversário de tanta qualidade acaba castigando", comentou.

Com a sinceridade que lhe é peculiar e uma mensagem pausada, mas direta, Modric citou alguns nomes e isentou Vinícius Júnior, que chegou ao clube nesta temporada e se tornou titular absoluto aos 18 anos.

"Cristiano não está aqui mais, e não podemos nos queixar por dez anos. O clube pôs fé em outros jogadores como Gareth (Bale), (Marco) Asensio e Karim (Benzema), trouxe Mariano, e Vinícius está indo muito bem para a idade que tem, mas algumas vezes as coisas não acontecem como queremos. A única maneira é trabalhar estando juntos. O Real Madrid sempre volta a ser o que era", afirmou, demonstrando otimismo.

Esporte