PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Ex-presidente do Sporting é expulso como sócio

01/03/2019 12h34

Lisboa, 1 mar (EFE).- Bruno de Carvalho, que presidiu o Sporting de 2013 até ser destituído em junho do ano passado, também foi expulso como sócio do clube nesta sexta-feira, a última consequência da insatisfação da torcida com o ex-dirigente.

A sanção final foi decidida pelo Conselho Fiscal e Disciplinar do Sporting, que divulgou hoje a decisão e lembrou em comunicado que se trata da pior punição do estatuto do clube.

O órgão afirmou que Carvalho cometeu pelo menos 12 infrações disciplinares "muito graves não só para a imagem e o patrimônio do clube, mas também para o próprio clube como instituição".

São infrações relacionadas com "a prática de atos que pretenderam subverter a ordem, a organização, o funcionamento, a atividade e a subsistência" do Sporting.

O ex-presidente, que cumpre atualmente uma suspensão de um ano como sócio, encerra assim definitivamente a relação com o clube, onde sempre esteve associado a polêmicas.

Explosivo e controverso, Carvalho já discutiu com presidentes de diversos clubes rivais e inclusive cuspiu no mandatário do Arouca, Carlos Pinho.

O período de maior polêmica ao longo do mandato ocorreu em maio do ano passado, quando cerca de 50 torcedores invadiram o centro de treinamento do clube e agrediram jogadores e a comissão técnica supostamente ajudados pelo então dirigente, segundo a Promotoria, que o considera "autor moral" do fato.

O Ministério Público chegou a acusar Bruno de Carvalho de 56 crimes, entre eles "sequestro" e "terrorismo", pelos quais chegou a ficar detido durante quatro dias em novembro.

O ataque a jogadores e comissão técnica foi a gota d'água para os sócios do Sporting e 70% votaram a favor do impeachment em junho de 2018. EFE

Esporte