PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Ex-empresário diz que Cardiff "abandonou" Sala na organização de voo

Emiliano Sala, durante partida pelo Nantes - SEBASTIEN SALOM GOMIS / AFP
Emiliano Sala, durante partida pelo Nantes Imagem: SEBASTIEN SALOM GOMIS / AFP

28/02/2019 17h01

O ex-empresário de jogadores Willie Mckay disse em entrevista à BBC que o Cardiff City abandonou Emiliano Sala e o deixou organizar sozinho seu voo de Nantes para o País de Gales, que acabou em tragédia com sua morte e a do piloto David Ibbotson.

"Ele foi abandonado em um hotel para que organizasse a viagem por si só", declarou McKay, que se encarregou de conseguir o voo do dia 21 de janeiro, durante o qual o avião monomotor caiu no Canal da Mancha.

O ex-empresário de jogadores disse ter ajudado na contratação de Sala pelo Cardiff porque seu filho, Mark, foi o agente da transferência e inclusive ainda teria 1,5 milhão de libras (R$ 7,45 milhões) a receber do Nantes referente à transferência.

Nesta semana, a comissão encarregada de estabelecer as causas do acidente (AAIB) informou que Ibbotson não tinha uma licença particular e por isso não poderia transportar passageiros a não ser que houvesse um acordo anterior à viagem para compartilhar despesas.

"Não foi um voo deste tipo porque Emiliano não tinha pagado nada, pagaria posteriormente o que lhe pedissem. Quando você pede um táxi, não pergunta se o motorista tem licença para dirigir", argumentou McKay.

O Cardiff negou ter abandonado Sala na organização do voo e afirmou ter oferecido ao argentino um deslocamento de Nantes a Cardiff em um voo comercial.

Esporte