PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Barça deslancha no 2º tempo, passa pelo Real e está na final da Copa do Rei

27/02/2019 19h09

Madri, 27 fev (EFE).- Em um clássico no qual o equilíbrio prevaleceu até a metade do segundo tempo, o Barcelona deslanchou na etapa final, venceu o Real Madrid por 3 a 0 em pleno estádio Santiago Bernabéu nesta quarta-feira e se classificou para a final da Copa do Rei pela quinta vez seguida.

A primeira etapa foi de leve domínio do Real, que, no entanto, pecou nas finalizações, principalmente com Vinícius Júnior, e não conseguiu ir às redes. Mesmo assim, os 'Blancos' estavam se classificando por causa do gol qualificado, porque na ida, há três semanas, no Camp Nou, houve empate em 1 a 1.

Depois do intervalo, porém, o Barça teve mais sorte e mais competência e construiu uma vitória confortável. Luis Suárez foi o grande nome da partida, com dois gols, ofuscando inclusive um discreto Messi. O outro foi de Varane, contra.

No dia em que o ex-presidente do clube catalão Sandro Rosell foi solto após dois anos, os 'Blaugranas' deram mais um passo para se tornarem os primeiros a vencer a Copa do Rei em cinco temporadas seguidas. Na final, no dia 25 de maio, no estádio Benito Villamarín, Messi e companhia jogarão contra o Betis, dono da casa da decisão, ou o Valencia. Esses dois times medirão forças nesta quinta, no Mestalla, após igualdade em 2 a 2 no primeiro duelo, na cidade de Sevilha.

Ao Real, que não passa uma temporada sem títulos desde a 2009-2010, resta tentar tirar uma diferença de nove pontos para o rival no Campeonato Espanhol, a começar por uma vitória em nova edição de 'El Clásico' no Bernabéu no próximo sábado, e as oitavas de final da Liga dos Campeões. Na ida, em Amsterdã, bateu o Ajax por 2 a 1.

Com todos os principais jogadores do elenco à disposição, Santiago Solari manteve o goleiro Navas como titular na Copa do Rei e optou por deixar no banco dois nomes badalados, mas que pouco forneceram na temporada até agora, o lateral-esquerdo Marcelo e o atacante Bale. Reguilón e Vázquez foram os escolhidos para começar jogando, assim como os já intocáveis Casemiro e Vinícius Júnior.

No Barça, o meia Arthur se recuperou de uma lesão na coxa esquerda, mas ficou no banco, assim como os outros dois brasileiros do elenco, Philippe Coutinho e Malcom. Sergi Roberto atuou no meio, Semedo continuou na lateral direita, e o ataque teve o trio formado por Dembélé, Messi e Suárez.

O primeiro ataque de maior perigo foi do atual tetracampeão da Copa do Rei, com seu tridente. Aos sete minutos de bola rolando, Messi passou para Dembélé, que cruzou para Suárez. O uruguaio tentou o passe para o meio, mas a defesa cortou.

Sem sentir o peso do clássico, Vinícius Júnior apareceu pela primeira vez aos 18, ao receber passe de Benzema, limpar a marcação e chutar por cima. Mais tarde, aos 22, o francês retribuiu a gentileza e serviu a promessa brasileira, que girou e bateu para boa defesa de Ter Stegen.

Suárez se mexia menos, como já vem acontecendo há algum tempo, e as principais jogadas do ataque 'blaugrana' vinham de combinações entre Messi e Dembélé. Aos 29, o argentino serviu o francês, que cruzou fechado, mas não encontrou ninguém que completasse para gol e cedeu tiro de meta.

O Real esboçou uma pressão nos minutos finais do primeiro tempo, e teve duas grandes chances seguidas, aos 36 e aos 37. Na primeira, Vinícius Júnior tentou na primeira, pegou o rebote de deu para Benzema, que concluiu para boa intervenção de Ter Stegen. Na segunda, o próprio ex-jogador do Flamengo bateu de pé esquerdo e novamente encobriu o travessão.

O segundo tempo começou com um "toma lá, dá cá", e o Barça fez 1 a 0 aos cinco minutos, em trama pela esquerda. Alba percebeu a passagem de Dembélé e adiantou para o francês, que cruzou rasteiro para trás. Suárez chegou batendo e abriu o placar.

Na busca pelo empate, o atual tricampeão europeu apostou nos cruzamentos. Aos nove minutos, Kroos cobrou falta e Casemiro cabeceou para fora. Aos 16, Vinícius Júnior cruzou para Reugilón, que, de peixinho, parou em um milagre de Ter Stegen. Pouco depois, aos 21, o brasileiro arrancou sozinho do meio-campo, driblou Semedo e Piqué de maneira desconcertante, e bateu para fora com desvio.

O Real criava mais, mas foi castigado no velho "quem não faz, leva". Aos 23, Dembélé aproveitou um buraco entre Casemiro e Reguilón e cruzou rasteiro, Varane tentou afastar no carrinho e acabou marcando contra.

Com o adversário atordoado, o Barça deu o golpe de misericórdia aos 27, com requintes de crueldade. Casemiro cometeu pênalti em Suárez, o próprio 'Luisito' bateu com cavadinha, deslocando Navas, e fez 3 a 0.

Como os donos da casa precisavam de quatro gols para virar a partida e a eliminatória, o clássico esfriou bastante na parte final. Houve duas últimas tentativas desesperadas do Real, aos 37, com Bale, e aos 39, com Asensio, dois que haviam começado no banco, mas ambos erraram o gol por muito.

Ficha técnica:.

Real Madrid: Navas; Carvajal, Varane, Sergio Ramos e Reguilón; Casemiro (Valverde), Kroos e Modric; Vázquez (Bale), Vinícius Júnior (Asensio) e Benzema. Técnico: Santiago Solari.

Barcelona: Ter Stegen; Semedo, Piqué, Lenglet e Alba; Busquets, Sergi Roberto e Rakitic; Messi, Dembélé (Philippe Coutinho) e Suárez (Vidal). Técnico: Ernesto Valverde.

Árbitro: José María Sánchez Martínez, auxiliado por Raul Cabañero Martinez e José García Gallego.

Cartões amarelos: Vázquez e Casemiro (Real Madrid); Busquets e Semedo (Barcelona).

Gols: Suárez (2x) e Varane (contra) (Barcelona).

Estádio: Santiago Bernabéu, em Madri. EFE

Esporte