PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Investigação sobre morte de Sala enfoca licença do piloto do avião

25/02/2019 13h52

Londres, 25 fev (EFE).- A investigação do acidente do avião monomotor no qual o atacante argentino Emiliano Sala morreu está centrada na validade da licença do piloto, David Ibbotson.

Segundo o relatório preliminar publicado nesta segunda-feira pelo Departamento de Investigação de Acidentes Aéreos do Reino Unido (AAIB), Ibbotson contava com uma licença de piloto particular para o Reino Unido e os Estados Unidos.

Esse tipo de credenciamento não permite ao profissional pilotar voos em troca de remuneração, mas, segundo o relatório, Ibbotson realizou viagens anteriormente em tarifas de despesas compartilhadas. As bases com as quais o traslado de Sala foi contrato não foram esclarecidas.

O AAIB disse que ainda não foi possível estabelecer quantas horas de voo o piloto havia feito recentemente, já que o seu diário e livro de voo foram perdidos no acidente. Além disso, o relatório revela que o Piper PA-46 Malibu no qual os dois viajavam, encontrado no fundo do mar perto da ilha de Guernsey, foi achado em um estado "muito danificado", dividido em três partes.

O avião em que o jogador de 28 anos, a contratação mais cara da história do Cardiff, viajava desapareceu em 21 de janeiro quando sobrevoava o Canal da Mancha, indo de Nantes (França) à capital do País de Gales.

O corpo de Sala foi encontrado dentro do monomotor no fundo do mar 18 dias após o desaparecimento, enquanto Ibbotson, de 59 anos, continua desaparecido. A família do piloto arrecadou 250 mil libras (R$ 932,6 mil) através de financiamento coletivo para continuar as buscas. EFE

Esporte