PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Bellucci e Rogerinho lamentam por não poderem jogar em São Paulo

22/02/2019 21h26

Rio de Janeiro, 22 fev (EFE).- A classificação para a final de duplas do Rio Open não trouxe apenas alegria para Thomaz Bellucci e Rogério Dutra Silva, que não poderão disputar o quali do Brasil Open, em São Paulo, cidade natal de ambos.

"Estamos muito felizes por podermos disputar a final do Rio Open, mas tivemos que desistir do quali de São Paulo, para o qual tínhamos nos inscrito. Somos de São Paulo", afirmou Bellucci em entrevista coletiva na qual se mostrou crítico à falta de organização dos torneios brasileiros.

Bellucci e Rogerinho pretendiam disputar individualmente tanto o Rio Open - único torneio ATP 500 da América do Sul -, como o Brasil Open - de categoria ATP 250 - disputado em São Paulo, mas receberam um convite para formar uma dupla inédita no Rio de Janeiro.

A inesperada classificação à final, na qual enfrentarão no sábado o argentino Máximo González e o chileno Nicolás Jarry, os obrigou a desistir do quali para o Brasil Open, que será disputado no mesmo dia.

Nenhum dos dois recebeu convites para entrar no quadro principal do Brasil Open, como ocorreu com o uruguaio Pablo Cuevas, que sequer se inscreveu para o torneio.

"Isso se tornou uma brincadeira entre os próprios jogadores aqui no Rio. Ninguém entende que convidem um estrangeiro que sequer se inscreveu e não disputará o quali em vez de convidarem os locais, que poderiam jogar diante da própria torcida", afirmou Rogerinho.

"Não temos nada pessoal contra Pablo (Cuevas), mas é triste ver umas coisas dessas. É difícil ver que não haverá nenhum paulista disputando o torneio de São Paulo", acrescentou Bellucci.

Além disso, os dois disputarão um título de duplas, modalidade na qual nem estão no ranking, já que priorizaram os torneios de simples em suas carreiras.

"Fomos informados de última hora que tinham nos convidado para competir como dupla. Eu nem sabia que o meu companheiro seria Thomaz (Bellucci). Tudo foi em cima da hora. No entanto, conseguimos encaixar muito bem e estamos jogando muito bem juntos, nos divertindo na quadra. Fora isso, disputar um ATP 500 em casa com o apoio do público é muito especial", comentou Rogério.

Segundo o tenista, embora um título de duplas não seja a prioridade para nenhum dos dois, a vitória pode dar confiança a ambos em suas carreiras.

Bellucci e Rogerinho se classificaram para a final de duplas do Rio Open ao vencerem o argentino Andrés Molteni e o tcheco Roman Jebavy com parciais de 6-4 e 7-6 (7-3) após uma hora e 31 minutos de partida. EFE

Esporte