PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Galo vence no Uruguai e fica perto da fase de grupos da Libertadores

20/02/2019 23h57

(Corrige sétimo e último parágrafos).

Montevidéu, 20 fev (EFE).- Com uma de suas melhores atuações neste começo de temporada, o Atlético-MG dominou o Defensor no estádio Luis Franzini, em Montevidéu, conquistou uma vitória por 2 a 0 pela última fase da chamada "pré-Libertadores" e ficou muito perto da fase de grupos da competição continental.

Como aconteceu nos dois jogos da eliminatória anterior, contra o Danubio, também do Uruguai, o Galo criou bastante desde o começo e se colocou à frente no placar. Réver marcou nos instantes iniciais. Entretanto, desta vez, a equipe de Levir Culpi não deu qualquer chance de reação e ainda ampliou a diferença, em cabeceio do baixinho Cazares.

Com a vitória, o campeão continental de 2013 poderá perder por um gol de diferença na volta, daqui a uma semana, em Belo Horizonte, que mesmo assim estará no grupo E da Taça Libertadores, com Cerro Porteño, Zamora e mais um adversário uruguaio, o Nacional.

No jogo desta quarta, Levir levou à risca o ditado "em time que está ganhando não se mexe" e repetiu a escalação da vitória sobre o Danubio, há oito dias, na Arena Independência. Embora estejam com moral com a torcida, o lateral-direito Guga e o volante José Welison continuaram no banco.

No Defensor, o nome jogador do elenco dirigido por Jorge da Silva, o meia Álvaro González, não pôde atuar. O ex-jogador de Boca Juniors e Lazio, com Copa do Mundo no currículo, sentiu um problema muscular na panturrilha.

O Galo se sentiu bem à vontade em Montevidéu, criou chances desde o começo e abriu o placar aos dez minutos do primeiro tempo. Cazares cobrou falta com a categoria e a precisão que lhe são peculiares, Réver desviou de cabeça e tirou do goleiro Rodríguez para fazer 1 a 0.

Cazares começou inspirado e quase deu mais uma assistência aos 12. O equatoriano recebeu de chará e levantou buscando Ricardo Oliveira, mas Rodríguez saiu bem e, com um leve toque, tirou da cabeça do centroavante. Pouco depois, aos 15, o camisa 9 atleticano conseguiu até driblar o goleiro, mas Correa afastou quando a bola ia rolando para a rede.

As oportunidades continuavam aparecendo, mas o Atlético as desperdiçava. Aos 26, Ricardo Oliveira poderia até ter arrematado, mas passou para Luan, que bateu para fora. Em seguida, aos 29, a bola foi de pé em pé até chegar a Chará, que concluiu tirando tinta da trave direita.

A única chance do Defensor em toda a etapa inicial apareceu em uma falha da defesa do time mineiro. Aos 36, Patric errou o domínio, López chutou do jeito que deu e Victor salvou o campeão da América de 2013 com linda intervenção.

A equipe mandante tentava ganhar terreno, mas criava pouco e ainda dava espaço para o contra-ataque do Atlético. Como aos 41 minutos, quando Luan tocou para Cazares, que acionou Ricardo Oliveira. O artilheiro dominou bem, mas finalizou pela linha de fundo.

O centroavante atleticano continuou tentando depois do intervalo. Logo aos quatro minutos, Patric tocou da direita e Ricardo Oliveira chutou com efeito, mirando o cantinho, mas mandou raspando a trave.

Novamente, os donos da casa incomodaram em uma "pane" da defesa dos visitantes. Aos seis minutos, Gómez foi lançado na direita, ganhou de Fábio Santos e cruzou. Nem Igor Rabello nem Réver cortaram, Laquintana apareceu livre e bateu perigosamente para fora. Três minutos depois, o próprio meia, que havia entrado no intervalo, tentou da entrada da área, mas Victor defendeu.

A resposta do Galo foi dada aos 12, com o mesmo finalizador de sempre. Ricardo Oliveira demonstrou categoria na cobrança de falta, mas a bola mais uma vez foi pela linha de fundo.

Com o passar do tempo, o Atlético abriu mão de jogar, como vem sendo rotina no time dirigido por Levir Culpi. No entanto, o Defensor não soube aproveitar o fato de ter ganhado terreno. Aos 22, Nápoli passou por Elias e Luan e bateu de longe para fora. Aos 24, Adilson vacilou, López também chutou de fora e encobriu o travessão.

Mesmo sem ser tão incisivo quanto antes e mais recuado, com José Welison em lugar de Ricardo Oliveira, o Galo aumentou a vantagem aos 32 minutos, em descida rápida de Patric. O lateral teve espaço pela direita, progrediu e cruzou para Cazares, que apareceu como um centroavante no meio da defesa uruguaia e cabeceou tirando de Rodríguez para assinalar o segundo.

Os espaços para os contragolpes foram ficando ainda maiores, o terceiro poderia ter saído aos 36. Luan esticou para Cazares, que driblou o goleiro, ficou sem ângulo e devoleu para o Menino Maluquinho, que concluiu em cima da marcação.

O Defensor até balançou a rede aos 42, com Carrera, depois de cobrança de falta, mas o sistema defensivo do Atlético caprichou na linha de impedimento, e a jogada foi invalidada. Dois minutos depois, Navarro arriscou uma puxeta, mas arrematou para fora.

Em noite inspirada, Cazares ainda esteve muito perto de fazer um golaço aos 49. O meia equatoriano entortou dois marcadores, levou para o pé direito e bateu por cobertura, mas a bola caprichosamente beijou o travessão e não entrou.

Ficha técnica:.

Defensor: Rodríguez; Gómez, Correa, Carrera e Perg (Ergas); Nápoli, Rabuñal, González e Piquerez (Laquintana); López (Milán) e Navarro. Técnico: Jorge da Silva.

Atlético-MG: Victor; Patric, Igor Rabello, Réver e Fábio Santos; Adilson (Jair), Elias e Cazares; Luan, Chará (Maicon) e Ricardo Oliveira (José Welison). Técnico: Levir Culpi.

Arbitro: Néstor Pitana (Argentina), auxiliado pelos compatriotas Juan Pablo Belatti e Pablo González.

Cartões amarelos: Correa (Defensor); Elias e Réver (Atlético-MG).

Gols: Réver e Cazares (Atlético-MG).

Estádio: Luis Franzini, em Montevidéu. EFE

Esporte