PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Fifa cobra solução para caso de jogador barenita preso na Tailândia

29/01/2019 12h33

Redação Central, 29 jan (EFE).- A Fifa cobrou nesta terça-feira que autoridades do Bahrein e da Tailândia atuem de forma urgente para garantir que o jogador barenita Hakeem al-Araibi, preso em território tailandês, possa voltar de forma segura para a Austrália, onde vive e trabalha.

A nota oficial da entidade internacional foi divulgada pouco depois da reunião entre a secretária-geral da Fifa, a senegalesa Fatma Samoura, com o ex-jogador da seleção australiana Craig Foster e o representante da Associação Mundial de Jogadores, Brendan Schwab.

"Foi um encontro muito produtido. Nos permitiu trocar informações muito úteis sobre o caso, especialmente, depois do senhor Foster visitar Hakeem al-Araibi, na semana passada, em Bangcoc", disse a dirigente.

Ao cobrar urgência, a Fifa fez um apelo para que a situação do jogador fique nas mãos das principais autoridades de Bahrein e Tailândia, para que a situação seja encontrada de forma "correta e urgente".

"Nos satisfaz ver que a Fifa reconhece a extrema gravidade da situação e a vontade de se comprometer na mais alta instância. Confiamos no regresso seguro dele à Austrália, e no respeito aos direitos humanos", afirmou Foster, que há diz fez alerta sobre o estado psicológico do jogador.

Al-Araibi, ex-integrante da seleção do Bahrein, foi detido no dia 27 de novembro do ano passado ao Bangcoc, onde passaria férias com a mulher, logo no desembarque proveniente de Melbourne, após um alerta da Interpol, que foi retirado em seguida.

O jogador foi acusado de atacar uma delegacia de polícia no país natal, fato que ele nega. Na Tailândia, ele está em um centro de detenção, enquanto um tribunal avalia a extradição para o Bahrein. Al-Araibi, no entanto, disse ter sido torturado e admite ter medo de ser morto. EFE

Esporte