PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Uefa e FIFPro condenam racismo após insultos a zagueiro do Napoli

28/12/2018 18h59

Redação Central, 28 dez (EFE).- A Uefa e o sindicato internacional de jogadores (FIFPro) condenaram conjuntamente o racismo demonstrado na última quarta-feira por torcedores da Inter de Milão contra o zagueiro marfinense Kalidou Koulibaly, do Napoli, em partida entre as duas equipes no estádio San Siro.

As duas organizações elogiaram as rápidas medidas tomadas pelas autoridades de futebol italianas, que puniram a Inter com a disputa de seus dois próximos jogos como mandante com portões fechados, além do fechamento parcial de um setor do estádio em um terceiro compromisso. Mas fizeram uma ressalva.

"FIFPro e UEFA estão muito preocupados com este incidente inaceitável de racismo e pelo que parece ser uma falha no amplamente reconhecido protocolo contra o racismo", afirma o comunicado conjunto.

Koulibaly foi alvo de cânticos racistas há dois dias. Apesar dos anúncios feitos pelo sistema de som do estádio, os insultos continuaram.

"As duas organizações são da opinião que os cânticos racistas para Koulibaly, que teve que deixar o campo após receber o segundo cartão amarelo, são inaceitáveis e não passam no futebol. FIFPro e Uefa apoiam as autoridades do futebol italiano na aplicação de toda medida adicional que possa ser tomada para combater o racismo nos estádios, uma praga de tolerância zero para FIFPro e Uefa", finaliza a nota conjunta. EFE

Esporte