PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Juve bate Valencia em estreia na Champions; CR7 tem expulsão polêmica e chora

19/09/2018 18h21

Valência (Espanha), 19 set (EFE).- Cristiano Ronaldo teve nesta quarta-feira uma estreia na Liga dos Campeões com a camisa da Juventus para esquecer no âmbito individual, já que recebeu cartão vermelho direto ainda no primeiro tempo, mas a equipe italiana conseguiu superar a perda do craque e vencer o Valencia por 2 a 0 fora de casa, no estádio Mestalla.

Pentacampeão do torneio continental - uma vez pelo Manchester United e quatro pelo Real Madrid - e sete vezes artilheiro, Cristiano Ronaldo reclamou com o zagueiro Murillo por simulação de falta dentro da área da Juve e deu um rápido puxão no cabelo do colombiano. O árbitro alemão Felix Brych o expulsou diretamente por agressão. Inconformado e se sentindo injustiçado, o camisa 7 chorou copiosamente na saída do gramado.

Com 10 homens quando o placar ainda estava em branco, a Velha Senhora não se intimidou e buscou a vitória com dois gols de pênalti, ambos marcados por Pjanic, um em cada tempo.

O resultado deixa a heptacampeã italiana na segunda posição do grupo H da Champions, com três pontos, mas saldo de gols pior que o do Manchester United, que no mesmo horário bateu o Young Boys na Suíça por 3 a 0, com dois gols de Pogba e um de Martial.

Na segunda rodada, marcada para o dia 2 de outubro, a Juventus receberá o time suíço no Allianz Stadium. Já o Valencia terá a dura missão de encarar o United no estádio Old Trafford na busca pela reabilitação.

A equipe anfitriã contou com dois brasileiros, o goleiro Neto, que até a temporada 2016-2017 defendia justamente a Juve, e o zagueiro Gabriel Paulista, ambos titulares. Na Velha Senhora, o lateral-esquerdo Alex Sandro começou jogando, e o atacante Douglas Costa entrou no decorrer da partida, mas saiu nos instantes finais, com dores no tornozelo.

A primeira descida mais perigosa do jogo, logo aos dois minutos de bola rolando, foi do time da casa. Gonçalo Guedes passou para Batshuayi, que devolveu. O meia português então encheu o pé, mas ficou apenas com o escanteio depois de desvio.

Se o torcedor do Valencia se animou com a boa jogada, ficou frustrado pouco depois. A Juventus passou a ganhar terreno e se tornou a dona do duelo. Aos dez minutos, Bernadeschi cruzou da direita, e Cristiano Ronaldo errou, mas acabou dando um passe sem querer para Mandzukic, que emendou de primeira e tirou tinta do travessão.

A pressão da heptacampeão italiana só aumentava, e aos 16, Khedira desperdiçou ótima chance. Cristiano lançou Bernadeschi, que mandou para a área. O volante ficou livre, mas chutou para fora. Pouco depois, aos 20 minutos, Bernadeschi cruzou rasteiro fechado, Neto rebateu e Matuidi acertou a marcação no rebote.

Assistindo à sua equipe ser massacrada, a torcida do Valencia ganhou esperança aos 29, quando Cristiano Ronaldo foi expulso. O craque português se desentendeu com Murillo e foi para o chuveiro mais cedo.

Os donos da casa até tiveram duas boas oportunidades, aos 37 e aos 41, ambas com Batshuayi, mas a rede não balançou. A primeira tentativa parou no goleiro Szczesny, e a segunda, em chute desequilibrado, saiu em tiro de meta.

Quem chegou ao gol, mesmo com um a menos, foi a bicampeã europeia. Aos 43 minutos, Parejo derrubou Cancelo, ex-Valencia, na área. Pjanic bateu o pênalti colocado, e Neto até acertou o canto, mas não evitou que os 'Bianconeri' saíssem em vantagem.

Logo no começo da segunda etapa, aos cinco minutos, outra penalidade foi marcada para a Juve, desta vez de Murillo em Bonucci. O colombiano agarrou o italiano depois de cobrança de escanteio. Pjanic cobrou de novo, à meia altura, e Neto outra vez caiu certo, mas a bola entrou.

Sem conseguir chegar à área adversária no toque de bola, o Valencia tentou duas vezes de longe, ambas com Soler. O meio-campista mandou em tiro de meta aos 16, e até acertou a direção aos 19, mas parou em grande intervenção de Szczesny.

Soler parecia disposto a resolver sozinho e chutou de longe em mais duas ocasiões, aos 26 e aos 34, mas voltou a errar o gol. Quem levou perigo maior, aos 36 minutos, foi Rodrigo, que aproveitou cobrança de escanteio e cabeceou a centímetros do travessão. Dois minutos depois, Gameiro, que havia entrado na vaga de Batshuayi, chutou de qualquer jeito e isolou.

Douglas Costa, com a velocidade que lhe é peculiar, acelerou pela ponta e bateu cruzado para boa defesa de Neto, seu companheiro de seleção brasileira. Instantes depois, o jogador da Juve deixou o gramado sentindo o tornozelo.

O Valencia ainda teve uma ótima oportunidade para diminuir a desvantagem nos acréscimos, mas vacilou. Aos 50 minutos, Rugani, que havia entrado em lugar de Douglas Costa para segurar o placar, cometeu pênalti em Gabriel Paulista, mas Szczesny pegou a cobrança de Parejo.



Ficha técnica:.

Valencia: Neto; Vezo (Cheryshev), Gabriel Paulista, Murillo e Gayá; Parejo, Wass, Soler e Gonçalo Guedes (Santi Mina); Rodrigo e Batshuayi (Gameiro). Técnico: Marcelino García Toral.

Juventus: Szczesny; Cancelo, Bonucci, Chiellini e Alex Sandro; Khedira (Can), Matuidi, Pjanic (Douglas Costa) (Rugani) e Bernardeschi; Mandzukic e Cristiano Ronaldo. Técnico: Massimiliano Allegri.

Árbitro: Felix Brych (Alemanha), auxiliado pelos compatriotas Mark Borsch e Stefan Lupp.

Cartões amarelos: Parejo, Vezo e Murillo (Valencia); Alex Sandro, Szczesny e Rugani (Juventus).

Cartão vermelho: Cristiano Ronaldo (Juventus).

Gols: Pjanic (2x) (Juventus).

Estádio: Mestalla, em Valência (Espanha).

Esporte