PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Brasileiro conquista prata no adestramento paraquestre nos Jogos Equestres

18/09/2018 17h15

Tryon (EUA), 18 set (EFE).- O cavaleiro brasileiro Rodolpho Riskalla conquistou nesta terça-feira a medalha de prata na modalidade de adestramento paraquestre em grau IV nos Jogos Equestres Mundiais disputados em Tryon, nos Estados Unidos.

Riskalla subiu ao segundo degrau do pódio com um resultado final de 73.366%. O ouro ficou com a atual campeã olímpica, a holandesa Sanne Voets, com 73.927%. A terceira colocada foi a dinamarquesa Susanne Jensby Sunesen (73.146%).

Com o resultado, o cavaleiro ganhou a primeira medalha do Brasil no evento. Riskalla, número 79 do ranking mundial da Federação Equestre Internacional (FEI), competiu sobre o cavalo Don Henrico, um garanhão de 15 anos.

Em declarações à Agência Efe após a cerimônia de entrega de medalhas, Riskalla disse que foi uma prova "muito igualada", com sete cavaleiros que tinham chances de pódio, o que torna a conquista um feito "bárbaro".

O brasileiro lamentou não ter vencido a prova, mas garantiu que estar no pódio é o "máximo", o que o motiva para buscar uma vaga nos Jogos Olímpicos de Tóquio, em 2020. A classificação é conseguida com base no ranking da FEI.

"Tenho que me preparar para também chegar a Tóquio com chances de medalha", disse o cavaleiro.

Em maio, a parceria de Riskalla e Don Henrico derrotou em Mannheim, na Alemanha, a holandesa Sanne Voets, campeã olímpica no Rio de Janeiro e vencedora da prova desta terça-feira

Na categoria grau IV, os competidores têm deficiência grave em ambos os membros superiores, ou moderada das quatro extremidades ou baixa estatura. Os atletas com deficiências visuais como acuidade visual muito baixa ou sem percepção da luz também entram nesta modalidade, segundo a FEI.

Rodolpho Riskalla precisou amputar os dois pés e parte dos dedos das mãos em 2015, depois de contrair uma meningite bacteriana quando treinava para participar dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro.

Esporte