PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Cruzeiro empata com 'La U' no Chile e continua sem vencer pela Libertadores

19/04/2018 23h23

Santiago (Chile), 19 abr (EFE).- Derrotado pelo Racing na estreia, o Cruzeiro voltou a empatar sem gols uma partida pela Taça Libertadores, desta vez contra o Universidad do Chile em Santiago nesta quinta-feira, e continua sem saber o que é vencer nesta edição do torneio continental.

A Raposa levou um 4 a 2 da equipe Argentina na primeira rodada, na Argentina, e depois ficou no 0 a 0 com o Vasco em Belo Horizonte. Depois de mais uma partida com placar em branco, o campeão mineiro é apenas o terceiro colocado do grupo 5, com dois pontos, enquanto 'La U' continua em segundo lugar, com cinco.

A liderança é do Racing, que mais cedo goleou o outro brasileiro da chave por 4 a 0 e foi a sete pontos. O representante carioca segura a lanterna, com um.

Precisando reagir na competição, o Cruzeiro voltará a enfrentar o Universidad daqui a uma semana, desta vez no Mineirão. No mesmo dia, o Vasco buscará um último suspiro encarando 'La Academia' no Rio de Janeiro.

Mano Menezes surpreendeu ao escalar o bicampeão continental com uma linha de três meias formada por Rafinha, Mancuello e Arrascaeta, com Thiago Neves de centroavante. Na lateral direita, quem começou jogando foi Edílson, em detrimento de Romero e Ezequiel, já recuperados de lesão.

No Universidad, a principal baixa foi o ala-esquerdo Beausejour, ex-Grêmio, que no último domingo se desentendeu em campo com o atacante Pinilla, jogador com passagem pelo Vasco, e está afastado. O substituto foi Monzón, que defendeu o Fluminense em 2013.

Logo no começo da partida, aos três minutos, 'La U' incomodou com um chute de primeira de Soteldo, que obrigou Fábio a cair no canto para segurar. A partir de então, porém, o que se viu foi a cautela impedindo os times de atacar com maior ímpeto.

A Raposa fez sua primeira tentativa de maior relevância apenas aos 17, quando Thiago Neves saiu da área para buscar jogo. O meia arriscou de fora da área e não pegou bem, cedendo o tiro de meta. Em seguida, aos 23, o camisa 30 levantou e Dedé cabeceou nas mãos do goleiro Herrera, ex-Corinthians.

As duas defesas estavam bem postadas, e os jogadores cometiam muitos erros no setor ofensivo, o que tornava os goleiros meros espectadores. Aos 33 minutos, Edílson cruzou, a zaga cortou, e Egídito tentou devolver para o meio, mas acertou o marcador. Logo na sequência, aos 35, Arrascaeta desarmou, mas tocou de calcanhar diretamente para o adversário.

A melhor chance de toda a partida até então foi de Lucas Silva. O volante, que não vinha sendo titular, não encontrou espaço para o passe e arriscou de muito longe, carimbando o travessão, aos 39 minutos.

A ida aos vestiários não serviu para inspirar os times, e o jogo continuou amarrado na volta para o segundo tempo. Aos oito minutos, Soteldo apareceu entre os defensores para cabecear depois do cruzamento da esquerda, mas Fábio pegou sem sustos. Na resposta cruzeirense, mais um chute de fora de Lucas Silva, aos 16, a bola desviou na zaga e foi para escanteio.

Aos poucos, as equipes foram se soltando, e as chances surgiam. Aos 20 minutos, Rodríguez tentou duas vezes de cabeça, mas a primeira foi bloqueada pela defesa e a segunda parou em linda intervenção do goleiro brasileiro.

Em seguida, aos 23, o bicampeão da América voltou a carimbar a trave. Rafinha ganhou da defesa pela esquerda e deixou para Arrascaeta, que chutou cruzado por baixo e acertou o pé do poste.

Na tentativa de ganhar o jogo, Mano enfim lançou mão de um centroavante de ofício, Sassá, que entrou em lugar de Arrascaeta, aos 29. Antes, 'La U' já havia desmontado o esquema com três zagueiros, colocando o atacante Guerra na vaga de Contreras.

A alterações surtiram mais efeito no Cruzeiro, que foi mais incisivo na parte final do duelo, mas não conseguiu balançar a rede. Aos 40 minutos, Sassá foi lançado na esquerda e passou para Robinho, que por sua vez preparou para Thiago Neves. O meia bateu colocado pela linha de fundo.

A última tentativa, feita aos 42, foi de Sassá, que invadiu a área e arrematou cruzado. Echeverría já ia marcando contra, mas acabou garantindo o empate ao cortar praticamente em cima da linha.



Ficha técnica:.

Universidad do Chile: Herrera; Vilches, Echeverría e Contreras (Guerra); Rodríguez (Schultz), Reyes, Pizarro e Monzón; Araos, Soteldo e Pinilla. Técnico: Ángel Guillermo Hoyos.

Cruzeiro: Fábio; Edílson, Léo, Dedé e Egídio; Henrique e Lucas Silva (Ariel Cabral); Rafinha, Mancuello (Robinho) e Arrascaeta (Sassá); Thiago Neves. Técnico: Mano Menezes.

Árbitro: Víctor Carrillo (Peru), auxiliado pelos compatriotas Jonny Bossio e Raúl López.

Cartões amarelos: Reyes, Vilches e Araos (Universidad do Chile); Lucas Silva e Dedé (Cruzeiro).

Estádio: Nacional, em Santiago (Chile).

Esporte