PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Hamilton: "Agora quero o título de número cinco"

29/10/2017 22h00

Cidade do México, 29 out (EFE).- O piloto britânico Lewis Hamilton, da Mercedes, que neste domingo se proclamou pela quarta vez campeão do mundo de Fórmula 1, afirmou que a única coisa possível agora é pensar no quinto título.

"Agora quero o título de número cinco. Vou aproveitar hoje o quarto, mas quero mais", disse o piloto de 32 anos após a corrida.

Hamilton terminou em nono lugar no Grande Prêmio do México, vencido pelo holandês Max Verstappen, da Red Bull, mas seu grande rival, o alemão Sebastian Vettel, da Ferrari, acabou em quarto, e isso foi resultou suficiente para o britânico assegurar o título.

"Estou me perguntando pelas minhas professoras que previam que nunca ia conseguir isto; certamente que amanhã lerão as notícias e dirão: eu ajudei esse jovem", disse Hamilton.

Animado, Hamilton explicou que o segredo para se conseguir vencer na vida se baseia em não escutar a quem diz coisas de mais, porque todos os seres humanos são como estrelas brilhantes e devem encontrar sua inspiração.

"Espero ser um testemunho de que se pode conseguir grandes coisas do nada; sei que há alguém lá fora como eu", acrescentou o piloto.

O britânico teve um domingo complicado no México, já que na largada seu carro foi tocado pelo de Vettel e como consequência sofreu uma avaria que o levou para os boxes.

Ao narrar esse momento disse que poderia pensar em esperar para a seguinte prova, no Brasil, para ganhar o título, mas não o fez porque sua mente estava concentrada em se tornar campeão no México.

"Sabia que Max estava a quase 70 segundos na frente. No entanto, estava concentrado e só pensava em conseguir a melhor posição possível. Tive que aguentar com pneus macios, mas lutei", afirmou Hamilton.

Ao se referir a sua carreira, o já tetracampeão disse que todos os seus títulos mundiais são diferentes e neste ano está contente de brigar "com um campeão como Vettel, que sabe ganhar campeonatos".

Hamilton comemorou o fato de a escuderia Ferrari, grande rival da Mercedes, tenha tido um grande retrocesso este ano e desejou que haja outros campeonatos com uma batalha tão forte como a que travou com Vettel em 2017.

"Quando você ganha o campeonato está como nas nuvens e leva um tempo para entender. Tudo foi preparado para se conseguir isto. Há muitas pessoas que criaram a máquina para explorar o meu talento e as minhas habilidades, e sou agradecido por isso", afirmou Hamilton.

Embora tenha parabenizado a torcida mexicana, que qualificou como a melhor de todas, Hamilton avalia o circuito mexicano como difícil, por causa da altitude de 2.240 metros, e a dificuldade de ultrapassar, o que torna as corridas um pouco aborrecidas.

"Não é uma grande corrida para o espetáculo, mas é difícil para o piloto. Espero que criem pneus especiais para correr no México", continuou o campeão mundial.

O britânico se negou a se comparar com outras lendas da Fórmula 1 porque os carros são mais poderosos com a passagem do tempo, no entanto, elogiou o alemão Michael Schumacher, com sete campeonatos.

"Todos sabemos o quão excepcional ele foi. Os seus recordes duraram muito tempo. A cada ano fixo metas e tenho coisas para melhorar. Ainda tenho alguns anos pela frente, veremos", concluiu Hamilton.

Esporte