PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Hamilton vence em Austin e só precisa de 5º lugar no México para ser tetra

22/10/2017 18h52

Austin (EUA), 22 out (EFE).- O britânico Lewis Hamilton, da Mercedes, confirmou neste domingo o amplo favoritismo e venceu o Grande Prêmio dos Estados Unidos, disputado no circuito das Américas, em Austin, ficando ainda mais perto do quarto título no Mundial de Fórmula 1.

Esta foi a 62ª vitória na carreira do campeão das temporadas 2008, 2014 e 2015, a quinta na pista onde é disputada a etapa americana da categoria. Nos últimos quatro anos, aliás, só o dono do carro 44 subiu no topo do pódio.

Nos EUA, Hamilton já levou a melhor em seis oportunidades, repetindo o que já havia conseguido alcançar nesta temporada no Canadá, local onde mais havia vencido na carreira.

Primeiro colocado em todos os três treinos livres e pole position, o líder da temporada ainda mostrou talento, em duas ultrapassagens durante a prova. Na mais importante, feita na sexta volta, o dono do carro número 44 deu troco no alemão Sebastian Vettel, da Ferrari, que tomou a ponta logo após a largada.

Mais tarde, no 23º giro, a "vítima" foi o holandês Max Verstappen, da Red Bull, que estava na frente de todos os concorrentes por ter atrasado a parada nos boxes, como estratégia por ter saído na 16ª colocação, por causa de punição.

O jovem talento da F-1, com grande manobra, tomou a terceira posição do finlandês Kimi Raikkonen, da Ferrari, nos últimos metros da volta final e, em grande prova de recuperação, alcançou o terceiro lugar. A direção de prova, no entanto, considerou que o piloto da escuderia anglo-austríaca usou a parte de fora da pista para ultrapassar e foi punido em cinco segundos, perdendo a posição.

Com o resultado de hoje, Hamilton chegou aos 331 pontos na tabela de classificação, contra 265 de Vettel, que terminou na segunda colocação. Com isso, o britânico precisa agora de um quinto lugar no GP do México, que acontecerá na próxima semana, para ser campeão por antecipação.

Felipe Massa, da Williams, que largou em décimo, lutou muito, especialmente com os pilotos da Force India durante a prova, mas devido rendimento ruim dos pneus antes da parada nos boxes, acabou conseguindo alcançar apenas a nona colocação, marcando pontos pela terceira etapa seguida.

Completaram a zona de pontuação o finlandês Valtteri Bottas, da Mercedes, que chegou em quinto, seguido pelo francês Esteban Ocon, da Force India, pelo espanhol Carlos Sainz, da Renault, e o mexicano Sergio Pérez, também da Force India. O russo Daniil Kvyat, da Toro Rosso, terminou em décimo.

O Grande Prêmio dos Estados Unidos foi marcado por diversas atrações, como entrada dos pilotos no melhor estilo dos esportes americanos, com anúncio e muita pompa, presença do ex-presidente dos EUA Bill Clinton, que entregou o troféu de vencedor para Hamilton, e do ex-velocista jamaicano Usain Bolt, que deu o sinal verde para a volta de apresentação.

Além disso, a etapa deste domingo marcou o quarto título da Mercedes no Mundial de Construtores. O time alemão chegou aos 575 pontos, contra 428 da Ferrari. A escuderia já havia erguido os troféus em 2014, 2015 e 2016, e se iguala assim a Red Bull, que venceu nos quatro anos anteriores.

A recordista segue sendo a Ferrari, com 16 troféus erguidos, contra nove da Williams e oito da McLaren.

Esporte