PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Com 1 a menos, Barça conta com Messi para resolver e bate o Olympiacos

18/10/2017 18h56

Barcelona, 18 out (EFE).- Mesmo jogando com dez homens desde os 41 minutos do primeiro tempo devido à expulsão do zagueiro Piqué, o Barcelona venceu o Olympiacos por 3 a 1 nesta quarta-feira no estádio Camp Nou, pelo grupo D da Liga dos Campeões, graças principalmente a mais uma grande atuação de Lionel Messi.

Piqué marcou um gol de mão instantes antes do intervalo, foi flagrado pela arbitragem, recebeu seu segundo cartão amarelo e acabou expulso quando o Barça levava a melhor por 1 a 0. Nikolaou havia marcado contra.

Mesmo com um a menos, o time anfitrião deslanchou depois do intervalo e contou com a estrela de Messi, que aumentou com um gol de falta e deu ótimo passe para Digne marcar o terceiro. Nikolaou diminuiu a "dívida" ao marcar o de honra da equipe grega nos instantes finais.

Com a vitória, o Barcelona se mantém na liderança isolada da chave, com nove pontos. A segunda colocação é da Juventus, que derrotou o Sporting por 2 a 1 de virada no Allianz Stadium, em Turim. Os 'Leões' vêm em terceiro, com três pontos, enquanto o heptacampeão grego ainda não pontuou.

Na quarta rodada, no próximo dia 31, os confrontos de hoje serão reeditados, mas com mando de campo intertido, em Pireus (Grécia) e em Lisboa.

Ernesto Valverde, que acumula duas passagens pelo adversário, com três títulos do Campeonato Grego, deu descanso a alguns jogadores, casos dos laterais Semedo e Alba, que deram lugar a Sergi Roberto e Digne. Do meio para a frente Rakitic também foi poupado, abrindo espaço para que Paulinho fosse titular na 'Champions' pela primeria vez.

No Olympiacos, o único brasileiro do elenco, o atacante Sebá, revelado pelo Cruzeiro e com passagem pelo futebol português, não foi relacionado.

O jogo começou em ritmo lento. O atual heptacampeão grego pouco ousava, e o Barça tinha dificuldade para se aproximar da área de ataque. O primeiro lance de perigo aconteceu apenas aos 16 minutos de bola rolando, em chute de fora da área de Paulinho que encobriu o travessão.

Um minuto depois, os donos da casa fizeram 1 a 0. Busquets lançou para Deulofeu, que mandou para o meio da área. Nikolaou tentou afastar e acabou marcando contra.

Em uma de suas infiltrações características, aos 24 minutos, Paulinho quase marcou o segundo. Sergi Roberto levantou para a área, o volante brasileiro chegou antes do goleiro e cabeceou no travessão.

A exibição coletiva não era das melhores, e Messi tentava chamar a responsabilidade. Aos 34, o argentino passou para Luis Suárez, que chutou para grande defesa de Protro. Dois minutos depois, o camisa 10 foi quem arrematou, mas o goleiro pegou novamente.

Ainda antes do intervalo, aos 41 minutos, o Barça ficou com um a menos. Deulofeu fez a jogada na esquerda, chegou ao fundo e bateu para o meio. Piqué marcou gol de mão e, como já tinha cartão amarelo, viu o segundo e foi expulso.

Se alguém esperava alguma dificuldade para o time catalão por estar com um a menos, foi surpreendido, porque o pentacampeão europeu jogou melhor com dez e dominou na segunda etapa. Aos 15 minutos, Messi cobrou falta pela meia esquerda, e Proto ainda encostou na bola, mas não conseguiu evitar que ela etrasse e que o placar passasse a ser de 2 a 0.

O terceiro aconteceu logo na sequência, aos 17. O argentino fez fila pela direita e mandou para o meio. A bola passou por todo mundo, menos por Digne, que chutou cruzado rasteiro e aumentou a vantagem.

O jogo voltou a ficar morno, mas o Barcelona continuava firme no campo de ataque. Aos 25 minutos, Luis Suárez carimbou a zaga, Paulinho ficou com a sobra e concluiu. Proto defendeu e ainda parou o rebote, aproveitado por Messi.

O Barça foi levando a partida em "banho-maria", trocando passes sem acelerar muito, mas retomou a carga na parte final. Aos 38, Rakitic, que havia entrado em lugar de Iniesta, colocou para o meioa da área e Messi bateu por cima. Dois minutos o argentino tentou tabelar com André Gomes, outro que havia começado no banco. O português errou a devolução, e Messi ainda consertou, mas chutou com desvio.

Ainda houve tempo para que o Olympiacos marcasse o primeiro gol sofrido pela equipe catalã nesta Liga dos Campeões. Aos 44, o escanteio foi cobrado da direita, e Nikolaou, que havia marcado contra, agora fez a favor, de cabeça.

Por sua vez, a Juve sofreu mais que o esperado, mas também venceu. Alex Sandro, em lance infeliz após defesa de Buffon, colocou contra o próprio patrimônio e fez 1 a 0 para o Sporting, aos 12 minutos da etapa inicial.

O empate aconteceu ainda antes do intervalo, aos 29 minutos, em arremate de Pjanic. E a salvação aconteceu apenas aos 39 do segundo tempo, em levantamento de Douglas Costa para Mandzukic cabecear.



Ficha técnica:.

Barcelona: Ter Stegen; Sergi Roberto, Umtiti, Piqué e Digne; Busquets (André Gomes), Paulinho e Iniesta (Rakitic); Deulofeu (Mascherano), Messi e Suárez. Técnico: Ernesto Valverde.

Olympiacos: Proto; Elabdellaoui, Botia, Nikolaou e Koutris; Romao, Gillet (Djurdjevic) e Zdjelar; Carcela-González (Pardo), Odjidja (Fortounis) e Androutsos. Técnico: Takis Lemonis.

Árbitro: William Collum (Escócia), auxiliado pelos compatriotas Francis Connor e Douglas Ross.

Cartões amarelos: Piqué (Barcelona); Romao, Nikolaou e Elabdellaoui (Olympiacos).

Cartão vermelho: Piqué (Barcelona).

Gols: Nikolaou (contra), Messi e Digne (Barcelona); Nikolaou (Olympiacos).

Estádio: Camp Nou, em Barcelona (Espanha).

Esporte