PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Brasil vence Equador em Porto Alegre e garante 1º lugar das Eliminatórias

31/08/2017 23h53

Porto Alegre, 31 ago (EFE).- Já garantida na Copa do Mundo de 2018, a seleção brasileira chegou nesta quinta-feira a nove vitórias seguidas nas Eliminatórias sul-americanas e assegurou a liderança do torneio, ao bater o Equador, mesmo adversário da estreia do técnico Tite há um ano, por 2 a 0, na Arena do Grêmio, em Porto Alegre.

Com o resultado, a seleção chegou aos 36 pontos e garantiu matematicamente a primeira colocação da competição, com três rodadas de antecedência. Isso porque os pentacampeões passaram a ter 11 de frente para a Colômbia, que hoje ficou no empate sem gols com a Venezuela e aparece na vice-liderança.

Curiosamente, os dois gols foram marcados por jogadores que estiveram no noticiário pelo interesse do Barcelona. O volante Paulinho, que trocou o Guangzhou Evergrande pelo time catalão, abriu o placar aos 23 do segundo tempo, se consolidando como artilheiro da seleção na temporada, com quatro gols.

O meia Philippe Coutinho, que o clube catalão tem 24 horas para tentar tirar do Liverpool, no fechamento da janela de transferências da Espanha, entrou em campo aos 13, deixou sua marca aos 30 minutos, em linda jogada, que teve direito a chapéu de Gabriel Jesus no zagueiro Robert Arboleda, do São Paulo.

O jogo ainda marcou a estreia do atacante Luan pela equipe principal do Brasil. O destaque do Grêmio, campeão olímpico no ano passado, saiu do banco nos minutos finais, substituindo Willian, para a alegria da maioria gremista presente no estádio.

O Equador, com a derrota, permanece com 20 pontos, agora na sétima colocação, uma abaixo da que começou a rodada, já que acabou ultrapassado pelo Paraguai, que passou nesta quinta-feira pelo Chile, fora de casa, por 3 a 0.

No reencontro com os equatorianos, primeiro adversário de Tite como técnico da seleção, a escalação foi a mesma da vitória em Quito por 3 a 0. A grande novidade foi a presença de Willian, que ganhou a vaga de Philippe Coutinho, que, não disputou os últimos jogos do Liverpool, alegando lesão nas costas.

No Equador, o zagueiro Luis Caicedo, ex-Cruzeiro, e o volante Jefferson Orejuela, do Fluminense, ficaram de fora, suspensos. A principal dúvida do técnico Gustavo Quinteros era sobre a presença de Felipe Caicedo no comando de ataque. O jogador da Lazio começou no banco, assim como Juan Cazares, do Atlético Mineiro. Dessa forma Enner Valencia jogou isolado na frente.

Em casa e sem a pressão, por já estar classificada, a seleção brasileira começou solta. Logo aos 7, Paulinho brigou pela posse na entrada da área, enfileirou a defesa visitante e bateu cruzado, obrigando Banguera a fazer ótima defesa.

Apenas dois minutos depois, Neymar deu belo passe da extrema esquerda e achou Willian na intermediária. O meia do Chelsea ajeitou e bateu bem com a perna esquerda, em finalização que passou muito perto da trave esquerda dos equatorianos.

O clima esquentou muito aos 26, quando Neymar prendeu a bola na lateral-direita do campo por alguns segundos, até levar uma entrada dura do meia Martínez. Os jogadores do Brasil, rapidamente, cercaram o árbitro paraguaio Mario Díaz de Vivar, cobrando advertência ao ex-Cruzeiro, que veio com um cartão amarelo.

Aos 33, após jogada conduzida por Casemiro, Gabriel Jesus recebeu na área, girou para cima da marcação e bateu para a defesa de Banguera. O lance aconteceu, justamente, quando a torcida presente no estádio, em maioria formada por gremistas, pedia a entrada de Luan.

No lance seguinte, o volante titular do Real Madrid resolveu arriscar, como vem fazendo sob o comando do técnico francês Zinedine Zidane, mas o chute saiu sem força. Ainda assim, o goleiro equatoriano bateu roupa, se recuperando a tempo de impedir a chegada de um brasileiro.

O segundo tempo começou com mudanças de Tite, que precisou colocar Thiago Silva no lugar de Miranda. Independente da alteração, a seleção mostrou dificuldades de se organizar ofensivamente, contra um adversário recuado, que veio em busca do empate.

A primeira boa oportunidade veio apenas aos 12 minutos, quando Daniel Alves acertou grande cruzamento e achou Gabriel Jesus bem posicionado no segundo pau. O camisa 9 ajeitou bem o corpo e testou firme, mas acabou parando na defesa de Banguera.

De olho em testar novas alternativas, o técnico da seleção decidiu mudar a estrutura consolidada há um ano, lançando Philippe Coutinho no lugar de Renato Augusto.

Aos 23, enfim, o Brasil conseguiu balançar as redes, quando Neymar cobrou escanteio da direita, três marcadores subiram para marcar Marquinhos e deixaram Paulinho livre. O volante recém-contratado pelo Barcelona encheu o pé para abrir o placar.

No popular, "a porteira abriu". Aos 30 minutos, Philippe Coutinho iniciou a jogada, deu belo passe por elevação para Gabriel Jesus que deu um chapéu em Arboleda e tocou de cabeça para o meia do Liverpool bater para o fundo das redes e ampliar.

Para delírio da torcida da casa, o atacante Luan saiu do banco aos 39 minutos, para entrar no lugar de Willian. O jovem campeão olímpico até lutou muito, mas não conseguiu ajudar a ampliar o placar, que ficou a um gol de repetir o 3 a 0 que os comandados de Tite aplicaram no Equador há um ano.



Ficha técnica:.

Brasil: Alisson; Daniel Alves, Marquinhos, Miranda (Thiago Silva) e Marcelo; Paulinho, Casemiro e Renato Augusto; Willian, Neymar e Gabriel Jesus. Técnico: Tite.

Equador: Banguera; Velasco, Arboleda, Achilier e Ramírez; Quiñónez, Noboa, Gaibor (Cazares), Antonio Valencia e Martínez (Marcos Caicedo); Enner Valencia (Felipe Caicedo). Técnico: Gustavo Quinteros.

Árbitro: Mario Díaz de Vivar (Paraguai), auxiliado pelos compatriotas Milciades Saldívar e Rodney Aquino.

Gols: Paulinho e Philippe Coutinho (Brasil).

Cartões amarelos: Neymar, Gabriel Jesus e Marcelo (Brasil); Martínez e Velasco (Equador).

Estádio: Arena do Grêmio, em Porto Alegre.

Esporte