PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Dembélé foge do rótulo de substituto de Neymar: "É um dos melhores do mundo"

28/08/2017 13h45

Barcelona, 28 ago (EFE).- O atacante francês Ousmane Dembélé foi apresentado nesta segunda-feira como novo jogador do Barcelona e fugiu das tentativas de comparação com Neymar, que vestiu a camisa 'blaugrana' nas últimas quatro temporadas e se transferiu para o Paris Saint-Germain por 222 milhões de euros.

"Há uma grande diferença entre Neymar e eu. Ele é um dos melhores jogadores do mundo, e eu sou muito jovem. Só tenho 20 anos. Tento crescer e vim para este grande clube para crescer ainda mais", declarou o novo reforço do Barça, contratado junto ao Dortmund por 105 milhões de euros, com a possibilidade de subir para 145 milhões dependendo de variáveis.

Embora fuja do rótulo de substituto do craque brasileiro, Dembélé garante não se sentir presssionado pela ausência do antigo camisa 11 nem pelo fato de ter sido a contratação mais cara da história do clube catalão.

"Não me põe pressão, é o mercado das transferências que ficou um pouco louco. Tenho 20 anos e não presto atenção nestes valores", destacou o francês, que assinou contrato de cinco anos, com cláusula de rescisão de 400 milhões de euros.

Dembélé não escondeu a empolgação por fazer parte de uns dos ataques mais badalados do mundo, com Lionel Messi e Luis Suárez, e acredita que evoluirá muito ao lado do argentino.

"É uma honra e um prazer ter Leo Messi como companheiro. Quero aprender com ele, porque é o melhor jogador do mundo e da história do futebol. Estou muito contente de evoluir em sua equipe. Quero aprender muito com ele e saber como ele se comporta dentro e fora do campo", disse o atacante, empolgado também por jogar com os compatriotas Samuel Umtiti e Lucas Digne.

"Nós nos entendemos muito bem com Samuel (Umtiti). Na seleção, falamos muito sobre a cidade e o Barça. Ele é francês e certamente me ajudará muito a me integrar no clube, assim como o Lucas Digne", acrescentou.

Antes de assinar contrato com o Barcelona, Dembélé forçou a saída do Dortmund faltando a vários treinos do time alemão. "Tinha confiança e sabia que seria contratado pelo Barça. Sabia que era uma questão dias ou semanas. Estou muito contente de estar aqui. As duas partes terminaram contentes, e eu também, mas foi um período delicado, sobretudo porque não estava jogando", reconheceu.

Esporte